Da Turquia para Marrocos

A Eko Textile, empresa produtora de lingerie com sede em Istambul, deslocou parte da sua produção para Marrocos, reagindo ao aumento dos custos na Turquia. «Taxas mais elevadas, lira turca mais alta e salários crescentes» foram apontadas pelo director-geral da empresa, Ozcan Sumer, como as razões para deslocalizar um terço da produção para uma nova unidade industrial localizada nos arredores de Casablanca, em Marrocos. A Eko Textile fabrica lingerie em Istambul há 12 anos e emprega actualmente mais de 3.000 pessoas. Fornece diversas das principais marcas europeias e é produtor licenciado da lingerie Gossard. Em 2005 a empresa produziu 15 milhões de unidades de lingerie, mas no mesmo ano começou a olhar para outro lado, à medida que os seus custos começaram a subir e que as quotas sobre as importações de vestuário chinês foram eliminadas. Sumer referiu que «após uma longa procura, decidimos iniciar uma parceria com Arturo Nucci para adquirir a empresa Arkomar Fashion», sedeada em Marrocos. Sumer revelou que a empresa gastou cerca de 3 milhões de euros na aquisição, mas quando os investimentos realizados ao nível da reorganização e modernização da unidade industrial estiverem concluídos, o investimento total dos dois parceiros na Arkomar Fashion será de 8 milhões de euros. Ozcan Sumer, fundador da Eko Textile, referiu que a deslocação de alguma produção é fundamental para a saúde da empresa a longo prazo, acrescentando que a aquisição iria adicionar aos bens da Eko Textile uma unidade produtora de lingerie com rápido crescimento e altamente lucrativa, aumentando significativamente os resultados do grupo. A Arkomar Fashion é especializada na produção de lingerie e fatos de banho para senhora. Localizada em Casablanca, a empresa vai empregar inicialmente 650 pessoas. Quando a unidade começar a funcionar em pleno, estima-se que um total de 1.500 funcionários trabalhe na empresa. A capacidade total da unidade vai ser de 20.000 peças por dia, refere Sumer, acrescentando: «Nós tivemos um bom início no primeiro trimestre de 2006. Arkomar conseguiu exportar 1,5 milhões de euros de produtos de lingerie durante os primeiros três meses do ano. Esperamos que, quando o ano fiscal estiver terminado, as nossas vendas totais de exportação tenham atingido os 8 milhões de euros. No entanto, no próximo ano o nosso objectivo é atingir os 24 milhões de euros nas exportações». Sendo actualmente um dos principais produtores de lingerie em Marrocos, a Arkomar Fashion produz artigos de lingerie de elevada qualidade e design, para empresas como: Marks & Spencer, Sara Lee, Lisa Charmel, Chantelle, Hennes & Mauritz, C&A, Bhs, Playtex e Suwen. Actualmente planeia aumentar as suas exportações com destino ao mercado norte-americano. Ao longo dos últimos anos, as empresas turcas de vestuário têm deslocado a sua produção para Este e para os países vizinhos, à medida que os custos de produção aumentaram e desde que a lira turca foi reavaliada em alta. Mas a Eko é o primeiro produtor turco de lingerie a entrar no mercado da África do Norte. Referindo-se às razões para o investimento em Marrocos, Sumer referiu que: «Marrocos é muito próximo do mercado da UE e possui um acordo de livre comércio com os EUA. Os custos de produção são muito razoáveis e não existe turbulência económica significativa. Para além destas razões, as taxas aplicáveis sobre os trabalhadores são 20% mais baratas do que na Turquia». Outra vantagem apontada por Sumer prende-se com o tempo de entrega para os países da UE de apenas 7 dias, enquanto que na Turquia se aproxima dos 21 dias. Sumer referiu ainda que, seguindo o exemplo da Eko, outros produtores turcos de lingerie estão agora interessados no mercado marroquino como base de produção. Outros grandes produtores turcos de vestuário estão também a considerar deslocalizar a produção para outros países, como o Egipto, o Uzbequistão ou o Turquemenistão. Segundo Sumer, esta tendência deverá continuar a aumentar.