Zara Pre-Owned chega a Portugal

A partir de 12 de dezembro, os consumidores portugueses vão poder comprar peças usadas e pedir serviços de reparação, quer online quer nas lojas físicas da Zara. Portugal é um dos novos 14 mercados europeus onde a plataforma estará disponível.

[©Zara]

De acordo com um comunicado, a Zara Pre-Owned pretende «ajudar os clientes a prolongar a vida da sua roupa», dando acesso «a serviços de circularidade como reparação, venda entre clientes de artigos Zara dos seus armários e doação através da Zara.com, da sua aplicação móvel e das lojas Zara».

Dentro da categoria Pre-Owned, os consumidores poderão pedir a reparação de qualquer peça de roupa usada da Zara, independentemente da estação em que foi comprada. As opções de reparação incluem a substituição de botões e fechos e arranjos de costura, sendo que as reparações – que poderão ser solicitadas online ou nas lojas físicas – são feitas «por intermédio de fornecedores locais», revela a Zara.

Para quem pretender vender ou comprar peças usadas, a plataforma está organizada por categorias de produto, com informação detalhada sobre cada artigo, incluindo imagens atuais fornecidas pelo vendedor.

Por último, os consumidores podem solicitar a recolha ao domicílio de roupa usada, de qualquer marca, para ser doada a entidades sem fins lucrativos. «Estas encarregar-se-ão de a classificar para serem reutilizadas, sempre que seja possível, ou então reciclá-las se estas chegaram ao fim do seu ciclo de vida, apoiando o desenvolvimento de projetos nas comunidades locais», destaca o comunicado da insígnia da Inditex.

A Zara Pre-Owned está já operacional há um ano no Reino Unido e desde setembro em França. Agora juntam-se, além de Portugal, os mercados de Espanha, Alemanha, Áustria, Bélgica, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, Finlândia, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Países Baixos, no que a Inditex, que detém a insígnia, afirma ser um avanço no «objetivo de implementar serviços de circularidade nos seus mercados-chave durante 2025».

A Inditex tem vários objetivos de sustentabilidade incorporados na sua estratégia, incluindo a utilização apenas de materiais com menor impacto ambiental até 2030. «Cerca de 40% das fibras utilizadas pelas marcas da Inditex serão resultado de processos de reciclagem tradicional, aproximadamente 25% serão fibras de nova geração (em parte escaladas em colaboração com as start-ups detetadas através do Inditex Sustainability Inovation Hub) e outras 25% serão provenientes de agricultura orgânica ou regenerativa», detalha.

Há ainda metas traçadas ao nível da responsabilidade social, estando igualmente prevista a redução na utilização de recursos hídricos e energéticos e o apoio a projetos para proteger ou regenerar até 5 milhões de hectares de solo.

A Inditex pretende reduzir em mais de 50% as emissões até 2030 a fim de alcançar o objetivo de conseguir chegar a emissões líquidas zero, com uma redução de, pelo menos, 90% das emissões, em comparação com 2018, até 2040.