Vestuário mais barato

De acordo com os dados do Observatório Têxtil do CENESTAP, 2006 iniciou com uma forte contracção dos preços do vestuário no consumidor em Portugal. Nos primeiros três meses do ano, os artigos de vestuário viram os preços cair 8,9% face a igual período de 2005. Este facto não é alheio à liberalização do comércio internacional ocorrida em Janeiro de 2005 que acentuou a importação de artigos produzidos a preços imbatíveis por parte de mercados como a China, Índia e Paquistão. Todavia a reposição das quotas às importações de 6 categorias de vestuário (t-shirts, camisolas e pulôveres, calças e calções, blusas de malha, vestidos e soutiens) em meados do ano passado contribuiu para atenuar este efeito. Aredução dos preços do vestuário não é um facto recente, no primeiro trimestre de 2005 os preços do vestuário já apresentavam uma tendência descendente tendo caído 3,3% em termos homólogos. Merece também referência a evolução patenteada pelos têxteis de uso doméstico (têxteis-lar), uma vez que, contrariando a tendência ascendente dos anos anteriores, no primeiro trimestre de 2006, os preços registaram uma queda de 0,9%.Note-se que as importações de têxteis-lar foram também liberalizadas em 2005 e que a U.E., aquando da reposição das quotas, apenas colocou restrições às importações da China deixando livres as entradas do Paquistão e da Índia, dois dos principais produtores mundiais.Fonte: Observatório Têxtil do Cenestap