Vestuário desaponta Laura Ashley

A empresa britânica de vestuário e artigos de decoração, Laura Ashley Holdings, anunciou ter terminado um ano difícil e que o comércio para o primeiro trimestre também não superou as expectativas. De acordo com o director executivo da Laura Ashley, KC Ng, as vendas de vestuário foram desapontantes, enquanto que as de artigos de decoração continuaram a ser o motor para o crescimento no corrente ano. Devido à delicada situação dos mercados na Europa, em particular da Alemanha, a empresa decidiu adiar os seus planos de expansão neste continente. Como resultado de um aumento da procura de artigos de decoração, Laura Ashley converteu 10% das suas 65 lojas europeias em lojas apenas de mobiliário. No ano terminado a 26 de Janeiro de 2002, o total do volume de negócios aumentou 7% para 448,4 milhões de euros, enquanto que os resultados antes de impostos desceram 9%. Segundo responsáveis pela empresa sedeada em Londres, os resultados foram adversamente afectados pela aguda queda do número de turistas e pela fraca economia mundial. A unidade de vestuário, que representa cerca de 35% do total do volume de negócios, foi gravemente atingida pelo aumento das vendas de apenas 1% numa base homóloga. Devido ao sucesso da divisão de mobiliário, a empresa decidiu no ano passado investir 14,3 milhões de euros num centro de distribuição que irá começar as suas operações este mês. A Laura Ashley actualmente controla directamente 268 lojas, das quais 203 estão no Reino Unido e 65 na Europa. Em Dezembro do ano passado, a empresa britânica assinou um contrato com o retalhista americano Saks Inc., para a produção e distribuição dos produtos Laura Ashley em 115 lojas da Saks.