Vestuário de criança está a crescer

Apesar das dificuldades causadas pelo aumento do custo de vida, o mercado de moda infantil deverá manter-se resiliente e continuar a somar vendas até 2028, especialmente impulsionado pelas economias em desenvolvimento.

[©Pixabay-Victoria]

O mercado mundial de vestuário de criança registou um crescimento de 3,5% em 2023, representando um aumento de 2,7% nos volumes de vendas, apesar das quedas registadas na Europa Ocidental e na América do Norte, indica o estudo Global Children’s Market to 2028 da GlobalData.

O crescimento desacelerou ainda mais para 3,5% em dólares americanos e 0,9% em euros, à medida que as famílias enfrentavam a elevada inflação. Os volumes mundiais registaram um aumento marginal de apenas 2,7%, com descidas observadas na América do Norte e na Europa Ocidental, onde os consumidores reduziram o consumo devido às incertezas económicas e ao declínio das taxas de natalidade.

Apesar dos desafios colocados pela pandemia, o mercado global de moda de criança demonstrou ser mais resiliente em comparação com a moda masculina e feminina, principalmente devido à sua natureza essencial. A necessidade de substituições mais frequentes, impulsionada pelos pulos de crescimento das crianças e pelo desgaste natural das peças, contribuiu para esta resiliência. As aquisições de vestuário de criança são igualmente vistas mais frequentemente como mais essenciais do que as de roupa de homem e senhora, com os pais a dar prioridade às compras para os filhos em detrimento de compras para si próprios.

No entanto, o crescimento abrandou para 1,7% em 2022, atribuído em parte às fracas taxas de câmbio, particularmente evidentes com o euro – na Europa a taxa de crescimento foi de 14,2%.

A previsão para 2024 indica uma desaceleração contínua, com um crescimento projetado de apenas 1,2% em dólares, impulsionado pela persistência de pressões inflacionistas.

O mercado de vestuário de criança deverá aumentar a um ritmo mais lento, com uma taxa de crescimento anual composta de 2,4% entre 2023 e 2028, para atingir 225,6 mil milhões de dólares, o que é uma taxa mais baixa do que a prevista para o vestuário de homem e de criança, principalmente devido ao impacto do declínio das taxas de natalidade na população infantil.

A Ásia-Pacífico será a região que mais vai crescer no mercado global de moda infantil, atingindo uma taxa anual composta de 4,2% entre 2023 e 2028. Este crescimento deve-se às economias florescentes da região e ao aumento do rendimento disponível, especialmente em países emergentes como a Índia e Filipinas, bem como ao crescimento do canal online.

Aliás, refere a GlobalData, as redes sociais vão continuar a inspirar e a incentivar a compra de vestuário de criança, nomeadamente através da tendência “mini-me”, em que os pais vestem os seus filhos com estilos que refletem os seus, bem como ao aumento de influenciadores nesta área. Estes influenciadores vão ajudar a aumentar a consciência e o interesse das crianças pela moda, e as marcas vão colaborar cada vez mais com elas para alargar o seu alcance.