ustria é o destino dos soutiens nacionais

A Áustria é o principal destino das exportações nacionais de soutiens e cintas, tendo absorvido, em 2000, 21,7 milhões de euros destes produtos portugueses. O mercado nacional é responsável por 16,2% das importações austríacas deste tipo de produtos, assumindo, conjuntamente com a Alemanha e Hungria, a posição de maior exportador para este país. A importância destes três países no fornecimento destes artigos é atestada pelo facto de corresponderem a metade das exportações para a Áustria, com a posição detida por cada um destes três mercado a ser bastante equitativa. Este país da Europa Central, cuja imagem de marca é a sua tradição cultural, totalizou, em 2000, 134,2 milhões de euros de importações de soutiens e cintas, não tendo registado alterações significativas face ao ano anterior. Apesar desta proximidade em termos de peso relativo no mercado austríaco, no que respeita aos preços a discrepância é bastante acentuada, uma vez que o preço médio de exportação dos soutiens e cintas provenientes da Alemanha e Hungria correspondem, respectivamente, a 36% e 46% do preço médio das exportações portuguesas. Este posicionamento da produção nacional tem o contributo de diversas empresas, como por exemplo a Marel – Indústria de Lingerie, Lda., que apresenta uma produção média anual que varia desde 1.800.000 peças até 2.100.000, com uma carteira de clientes que abrange, para além da Áustria, os mercados da Holanda, Alemanha, Suíça, Áustria, Inglaterra, Espanha e Portugal, com as exportações a englobarem diferentes produtos tais como body, singlete, cueca, top e soutien. O estudo completo encontra-se no Portugal Têxtil .