Unifi acelera na reciclagem têxtil

A produtora da fibra Repreve, que já reciclou milhares de milhões de garrafas PET, estabeleceu como objetivo reciclar o equivalente a 1,5 mil milhões de t-shirts de poliéster até 2030.

[©Repreve]

Até ao momento, a empresa, sediada nos EUA, transformou mais de 40 mil milhões de garrafas de plástico em fibras de poliéster reciclado, mas no relatório 2023 Sustainable Snapshot aponta como meta duplicar a reciclagem anual de resíduos, incluindo fios e tecidos, em novas fibras – em 2023, a Unifi reciclou o equivalente a 750 milhões de t-shirts.

O objetivo faz parte de uma série de compromissos que a Unifi delineou para cumprir até ao final da década, que incluem reduzir em 30% as emissões de gases com efeito de estufa de âmbito 1 e âmbito 2 e atingir zero descargas anuais de águas não conformes.

A empresa confirmou ainda o compromisso de divergir 50 mil milhões de garrafas de plástico de aterros até dezembro de 2025 – anunciou ter atingido 38 mil milhões de garrafas no ano fiscal de 2023 – e da fibra Repreve representar uma «parte significativa» do volume de negócios no ano fiscal de 2025 (em 2023 representou 30%).

No último ano fiscal, a Unifi conseguiu reduzir em 93% o resíduo enviado para aterro na sua unidade produtiva na América Central, em El Salvador, e em 55% na sua unidade no Brasil.

«O nosso quarto relatório anual de sustentabilidade mostra a continuação do progresso da Unifi e o compromisso em curso de estabelecer e ultrapassar novos objetivos de sustentabilidade», afirma Eddie Ingle. «Em 2023, fizemos avanços significativos no volume de reciclagem, na redução de resíduos e no refinamento da estratégia. Estamos desejosos de desenvolver o nosso objetivo de tornar os resíduos úteis», acrescenta o CEO da empresa, que sublinha o papel multifacetado da Unifi. «Enquanto empresa de reciclagem e de produção, temos de ter em consideração o nosso próprio impacto ambiental, o impacto dos nossos clientes e até o impacto dos clientes dos nossos clientes. Abordamos este papel através de uma simples lente – odiamos desperdício».

Eddie Ingle acredita, por isso, que a empresa «vai ser um player essencial na expansão mundial da circularidade do têxtil através do programa Textile Takeback e outras ofertas de reciclagem feitas a partir de têxteis pós-industrial e resíduos de fios».