UModa regressa com Zénite

O evento anual de apresentação das coleções realizadas pelos finalistas da licenciatura em Design e Marketing de Moda da Universidade do Minho está agendado para 25 de maio e terá transmissão em direto no YouTube.

UModa 2023 [©UModa]

Zénite – enquanto conceito que «representa o ponto mais alto da inspiração e da criatividade, celebrando a beleza dos extremos da natureza e o equilíbrio que reside entre eles» – é o tema desta edição do UModa.

O evento terá lugar na Escola de Engenharia da Universidade do Minho, no Campus de Azurém, em Guimarães, no dia 25 de maio pelas 18 horas, e será transmitido em direto no canal de YouTube do UModa.

«As coleções presentes no desfile refletem a ideia de contrates extremos», explica a organização. «Num paradoxo inspirador, cada coordenado é uma expressão dualidade entre o caos e ordem, escuridão e luz, força e delicadeza», acrescenta.

Manifesto of Silence [©UModa]
Unraveling [©UModa]
Criação e Destruição [©UModa]
Na coleção “Manifesto of Silence”, que será apresentada por Emília Lopo, Francisca Carvalho, Maria Borges, Marta Cirino e Pedro Ferreira, os coordenados dividem-se em três segmentos: causal, moda e conceptual. «Trata-se de uma coleção de primavera/verão que pretende transmitir uma mensagem forte e clara, tendo como foco apresentar uma declaração de princípios, crenças ou intenções. O tema leva-nos a uma exploração mental que procura criar uma narrativa que engloba os contrastes: opressão x liberdade», revela a organização.

Já Unraveling, de Carolina Crespo, Gonçalo Almeida, Juliana Freitas, Lara Henrion e Marta Sardinha, foi inspirada no tema místico em oposição ao material. «Unraveling transmite o contraste entre o imaginário e a realidade, para que o místico e o material dancem em uniformidade, sendo este o reflexo da humanidade de sonhar, inovar e evoluir», explica.

A coleção Criação e Destruição pretende representar a criação e a vida em oposição aos conceitos de destruição e desconstrução. Da autoria de Ana Raquel Pinta, Erica Gazite e Júlio Gonçalo Brandão, a ideia central passa pelo amor e a violência, «inspirados pelo verso “He it me and it felt like a kiss” da música “Ultraviolence”, da artista Lana Del Rey».

Vice Versa, por seu lado, contrasta rigidez e suavidade, sob o chapéu da sustentabilidade. «Areia do deserto e icebergues dos glaciares são dois contrastes extremos – estes opõem-se tanto pelo tamanho como pelo ambiente onde estão situados, sendo que a areia são pequenos grãos de areia soltos provenientes de rochas e o icebergue consiste num imenso pedaço de gelo que vagueia pelos oceanos. Uma vez que se trata de uma coleção focada no sustentável, era indispensável focarmo-nos em dois contrastes extremos ligados à temática de ecossistemas e do planeta Terra», refere o grupo de finalistas, composto por Ana Catarina Alexandre, André Tavares, Carolina Gomes Silva, Carolina Martins Silva, Diogo Sobral e João Vieira.

O último grupo apresentado até ao momento nas redes sociais do evento UModa é composto por Gabriela Duarte, Joana Canhoto, Júlia Castro, Júlia Ferreira e Vânia Silva e debruçou-se sobre os opostos Euforia e Tranquilidade. «A tendência escolhida é a “Digitopia”, onde o hiper-realismo encontra texturas tangíveis, à medida que o cenário criativo continua a ser moldado pela IA, inovação e pura criatividade. A coleção foca-se num design criativo e único, onde o exagero é o ponto fulcral», desvendam.