Turquia: concorrência da China deixa marcas

No entanto, as exportações turcas para a Europa de Leste, Grécia, Itália, Espanha e Portugal, assim como para o Norte de África, continuam a aumentar. No que diz respeito à Alemanha, o mercado de exportação de vestuário mais importante da Turquia, e à Bélgica, o panorama é oposto. Após a queda das quotas, as importações, sobretudo da China, registaram uma subida muito significativa. Este éa conclusão deOsman Tekson, secretário-geral da Associação de Exportadores de Têxteis e Vestuário de Instambul,face ao desenvolvimento da indústria têxtil e de vestuário da Turquia. Segundo os dados da Câmara de Comércio e Indústria Turco-Alemã, as exportações têxteis da Turquia aumentaram 6,5 por cento em 2005, atingindo 4,8 mil milhões de dólares. A indústria de vestuário conseguiu aumentar as suas exportações em 4,7 por cento, situando-se nos 13,7 mil milhões de dólares, tendo a subida do ano anterior sido de 13,7 por cento e no ano de 2003 de 25,5 por cento. Os países mais importantes de destino das exportações de vestuário são, depois da Alemanha, a Grã-Bretanha (16,3 por cento), EUA (9,5 por cento) e França (7,4 por cento). A procura de denim cria algumas esperanças, uma vez que em 2005 registou um aumento de 28 por cento.