Trevira muda de mãos

A empresa conhecida pelas suas fibras especiais é agora completamente detida pelo grupo tailandês Indorama Ventures, que já possuía, desde 2011, 75% da empresa. Uma aquisição que, segundo a Trevira, que marca presença na Techtextil, reforça o apoio da Indorama Ventures e trará mais benefícios no futuro.

A Indorama Ventures tornou-se a única proprietária da Trevira, com a aquisição dos restantes 25% à Sinterama SpA. O grupo tailandês assinou o acordo de compra a 18 de abril, depois de ter já adquirido 75% da Trevira em julho de 2011.

«A Trevira, com a sua conhecida marca, faz parte integral da nossa estratégia de portefólio de fibras especiais», explica Uday Gill, CEO do negócio de fibras da Indorama Ventures, em comunicado. «Vemos mais potencial de crescimento, sobretudo nos segmentos de higiene e automóvel, assim como no negócio de têxteis-lar de gama alta», acrescenta.

Para o CEO da Trevira, Klaus Holz, a aquisição da quota da Sinterama é apenas o mais recente passo lógico que documenta o compromisso a longo prazo da empresa-mãe. «Para a Trevira e para os seus clientes e fornecedores, esta consolidação reflete o compromisso da Indorama Ventures em investir na empresa e assegurar a continuação de uma parceria forte e fiável. A Indorama Ventures apoiou-nos desde o início em todas as nossas atividades e integrou-nos na sua rede mundial. Cooperamos em projetos conjuntos e beneficiamos significativamente de sinergias dentro do grupo Indorama Ventures. Gostaríamos de agradecer à equipa da Sinterama pelo seu apoio a assegurar uma transição sem problemas», afirma em comunicado.

A Trevira é conhecida pelas suas fibras para aplicações técnicas e produtos de higiene, assim como para têxteis-lar, interiores de automóveis e vestuário funcional. A empresa tem duas unidades produtivas na Alemanha e, no total, emprega 1.100 pessoas no país. Em 2016, a Trevira registou um volume de negócios de cerca de 230 milhões de euros.

A empresa está representada nesta edição da Techtextil (ver Techtextil a postos para a descolagem), de 9 a 12 de maio, juntamente com a Indorama Ventures, com uma oferta onde se destacam fios com biopolímeros (PLA), para aplicação em têxteis-lar, têxteis de projeto (como a construção para feiras) e utilizações técnicas, assim como vestuário funcional.

Uma outra novidade é um fio fosforescente, que continua a brilhar no escuro até sete horas após uma breve exposição à luz solar e que a empresa acredita que terá particular interesse para o interior de veículos.

A oferta da empresa na Techtextil inclui ainda um fio texturizado de elevada tenacidade e com características permanentes de retardamento de chama, que está a ser produzido em parceria com a PHP – também ela uma subsidiária da Indorama Ventures –, fios de poliéster 100% reciclado, fios antimicrobianos e fibras de poliéster sem antimónio para melhorar a segurança dos produtos e responder às exigências da indústria alimentar.