Têxteis-lar nacionais destacam-se em estudo do Cityc

Segundo algumas conclusões do estudo realizado pelo Centro de Informação Têxtil e de Confecção, Cityc, o mercado de têxteis-lar na União Europeia alcança um volume de 750.000 toneladas por ano, das quais quase metade são fornecidas pelo exterior. Os grandes países europeus como a Alemanha, a França, o Reino Unido e a Itália, concentram 2/3 do consumo e a mesma percentagem das importações. Destacam como fornecedores externos com mais de 50%, a Índia, o Paquistão e a China, na Ásia, e a Turquia, a Polónia e o Egipto dentro da zona mediterrânea. Os principais fornecedores internos são Portugal e a Bélgica, que são os primeiros países exportadores da União Europeia. A balança comercial europeia de têxteis-lar apresenta um elevado valor de déficit, já que as importações são cinco vezes maiores do que as exportações. Todos os grandes grupos de produtos: toalhas, mantas, roupa de cama, etc… apresentam uma balança comercial negativa. A maioria dos países europeus são importadores líquidos; só resta destacar os casos de Itália, Espanha, Bélgica e Portugal. Nos dois primeiros casos, Itália e Espanha, trata-se de mercados importantes com uma penetração das importações inferior à média europeia, enquanto que a Bélgica e Portugal são os dois primeiros exportadores europeus da especialidade. Entre as conclusões do referido estudo pertencente ao programa “Conheça melhor o seu mercado” – no qual se analisam os principais dados do comércio externo de artigos para têxteis-lar correspondentes a países membros da União Europeia e a sua evolução nos últimos dez anos – está o facto de Espanha, que produz 13% dos têxteis-lar de toda a Europa, e com um consumo de 9,8% do total comunitário, ter o seu nível de importações abaixo da média europeia. O referido trabalho foi apresentado às empresas membro da Aitpa, a associação responsável pelo têxtil de algodão, no passado dia 17 de Junho, pelo presidente da associação, Ramón Masó, e pelo director geral do Cityc, Victor Fabregat. No mesmo acto, o vice-presidente executivo da Aitpa, Salvador Maluquer, explicou o programa previsto até 2005 para a eliminação das quotas existentes nas importações de produtos têxteis para o lar, e a directora do departamento de promoção internacional, Esther Alegre, apresentaram as actuações de promoção externa programadas para o segundo semestre do ano, na altura do Conselho Intertextil Espanhol. O estudo do Cityc põe em relevo o importante papel de Espanha no sector de têxteis-lar na União Europeia, já que ocupa o quinto lugar, logo a seguir a Itália, Alemanha, Reino Unido e França. Espanha representa, como já se havia dito, 13,1% da produção europeia e 9,8% do consumo interno. No entanto, o peso das transacções externas (importações e exportações) é inferior aos resultados anteriores, reflexo do menor nível de internacionalização das empresas espanholas.