Test Bed 4 Advanced Textile Materials já tem pilotos

O desenvolvimento de um outfit com fibras naturais, o tingimento com corantes naturais em meio frio ou a introdução de marcadores de reciclabilidade em têxteis são alguns dos pilotos que já saíram do projeto, que tem as portas abertas a novas ideias.

Pedro Silva e Bárbara Leite

A Test Bed 4 Advanced Textile Materials – pensada para acelerar a produção, industrialização e comercialização de produtos têxteis inovadores – começou em março de 2023 e irá decorrer até 2025. «O objetivo principal, sendo que há um foco em trabalhar com start-ups e PME’s, é o desenvolvimento de produtos inovadores, torná-los comercialmente viáveis, de forma a passar o tão conhecido “vale da morte”», explicou Bárbara Leite, diretora de I&D na RDD – que lidera o consórcio, onde estão também a Tearfil, a TMG Textiles, a ATB e a Petratex – numa iTechStyle Talks, que teve lugar na mais recente edição do Modtissimo.

Circularidade, sustentabilidade e inovação são conceitos inerentes aos produtos que estão atualmente a ser desenvolvidos. Entre os pilotos já concluídos estão um coordenado com fibras naturais, como fibra de banana, e tingimento sustentável, que foi usado para a RDD vestir os assistentes da última edição da feira Première Vision, em Paris, assim como a introdução de marcadores de reciclabilidade, «para permitir a identificação e rastreabilidade do processo», exemplificou Pedro Silva, diretor de inovação da TMG Textiles.

Foi ainda desenvolvido um piloto em que se «transformou PLA, inicialmente em fibra e posteriormente em tecidos e malhas», com melhores credenciais de performance ao nível da resistência que permitem a sua aplicação em vestuário de trabalho, e um outro de um processo de tingimento em meio frio (cold pad batch). «É uma alternativa sustentável àquilo que é normalmente apresentado no mercado», usando também corantes naturais «que aumentam exponencialmente a inovação, em primeiro lugar, mas também a sustentabilidade dos produtos e apresentam um fator completamente diferenciador daquilo que é feito regulamente na indústria», sublinhou Pedro Silva.

No total, o projeto tem como objetivo desenvolver 110 protótipos. Até junho de 2022, revelou Bárbara Leite ao Portugal Têxtil à margem da apresentação, deverão estar concluídos 22 projetos pilotos. «Internamente já está cumprido, com produtos já feitos ou desenvolvimentos que serão concluídos até essa data». A meta seguinte passa por «55 pilotos desenvolvidos até dezembro», sendo que os restantes serão realizados, «com alguma margem», em 2025, acrescenta a diretora de I&D da RDD.

Start-ups e PME’s que tenham ideias para produtos ou serviços que pretendam desenvolver – nas áreas de fiação, tricotagem, tecelagem, tinturaria, estamparia, acabamentos, modelação 3D e confeção – podem submeter as suas candidaturas no website da Test Bed 4 Advanced Textile Materials, podendo usufruir de financiamento e descontos comerciais.