Tailândia e Vietname prometem

O sector têxtil e de vestuário na Tailândia e no Vietname deverá manter o seu destaque e continuar a prosperar, à medida que as economias dos dois países reagem com um crescimento robusto em 2010, segundo revelaram altos funcionários governamentais. O ministro de relações exteriores da Tailândia, Kasit Piromya, afirmou aos jornalistas, em Genebra, que a economia vai recuperar e crescer 4,5% em 2010, um aumento acentuado em relação à contracção de 2,8% registada em 2009. As exportações tailandesas deverão também aumentar 15% em 2010, como resultado dos crescimentos previstos nas exportações de mercadorias para os mercados do Médio Oriente, Índia e China, entre outros, segundo este responsável governamental. Esta seria uma mudança significativa após a queda estimada de 20% em 2009. Piromya referiu ainda que os esforços no sector da moda tailandesa deverão ser centrados na expansão das exportações no segmento da roupa infantil e no vestuário de desporto de alta qualidade. Por seu lado, o primeiro-ministro do Vietname, Nguyen Tan Dung, revelou, aos jornalistas durante o Fórum Económico Mundial de Davos, que a economia do país teria uma expansão de 7%, acima do crescimento de 5,3% registado no ano passado. O primeiro-ministro vietnamita referiu que os fluxos de investimento directo estrangeiro (IDE) em 2009 atingiram os 21 mil milhões de dólares e que o investimento total no Vietname representou 42,8% do produto interno bruto, aumentando 15,3% em relação ao ano anterior. Questionado sobre se o Vietname poderia manter os fluxos de investimento directo estrangeiro, especialmente em indústrias de mão-de-obra intensiva como o vestuário e o calçado, e evitar a sua deslocalização para destinos com custos ainda mais baixos no Sul da Ásia, Nguyen respondeu que «o Vietname será capaz de manter o investimento estrangeiro e atrair mais». O vestuário e o calçado são segmentos em que o Vietname tem conseguido atrair empresas estrangeiras com investimentos. Chegou-se mesmo a registar a deslocação de unidades de produção da China para o Vietname, à medida que os custos de trabalho e outros, aumentaram. Mas Nguyen considera que a ameaça de uma possível migração do investimento directo estrangeiro do Vietname para outros locais é uma preocupação constante.