Sympatex mais sustentável com ajuda da DSM

A empresa conhecida pelas membranas para aplicação em artigos de desporto está empenhada em reduzir a sua pegada ambiental e conta, para isso, com um novo elastómero da DSM Engineering Material, produzido com recurso a vários resíduos orgânicos. A solução mais amiga do ambiente chega ao mercado ainda este ano.

[©Sympatex]

O Arnitel, um elastómero termoplástico fabricado a partir de resíduos de base biológica, foi concebido com uma abordagem de equilíbrio de massa, isto é, uma abordagem pensada para rastrear o fluxo de materiais ao longo de uma cadeia de valor complexa. Esta abordagem, explica a DSM com base na descrição da Ellen MacArthur Foundation, cria um conjunto de regras de como alocar o conteúdo de base biológica ou reciclado em diferentes produtos para ser capaz de alegar e comercializar o conteúdo como de base biológica ou reciclada. O produto final contém mais de 25% do conteúdo de base biológica, em termos de peso.

«Ao oferecer uma nova gama de Arnitel de base biológica e equilíbrio de massa, a DSM Engineering está a permitir à produtora de membranas Sympatex Technologies responder a estas exigências e fazer escolhas mais sustentáveis», indica um comunicado da DSM.

Por seu lado, a Sympatex salienta que «vai garantir que a membrana não só retém os seus valores de elevada performance em termos de respirabilidade, impermeabilidade e resistência ao vento, como também se mantém completamente reciclável no fim do seu ciclo de vida».

Além do produto em si, a DSM, que é parceira da Sympatex há vários anos, está a completar a conversão das suas unidades de produção para fontes de energia renováveis, uma medida pensada também para reduzir a pegada de carbono dos seus produtos e operações. «A DSM está a apoiar a Sympatex, como primeira signatária da Carta da Indústria da Moda para a Ação Climática das Nações Unidas (atualmente subscrita por mais de 100 marcas e associações), para atingir mais um marco no caminho para a neutralidade climática vários anos antes do planeado», sublinha a Sympatex.

Mammut estreia Arnitel

A Sympatex refere que ao incorporarem estas membranas nas coleções, os seus clientes vão ficar mais perto de cumprir um dos compromissos da carta – reduzir as emissões de CO2 em 30% em comparação com 2015 – mais rapidamente. O Mammut Sports Group será um dos primeiros a ter este novo elastómero, que chegará às lojas com uma coleção com Sympatex no próximo inverno. O plano é concluir a conversão completa para todas as entregas de membranas da Sympatex até ao final deste ano.

[©Sympatex]
«Embora o nosso principal foco seja fechar o círculo têxtil usando os fluxos de resíduos das nossas próprias indústrias, vamos também abraçar todas as outras oportunidades fazíveis tecnicamente para minimizar a nossa pegada até lá», afirma Rüdiger Fox, CEO da Sympatex Technologies. «Mais uma vez, estamos a ver que parcerias como a nossa com a DSM aceleram o progresso da nossa jornada coletiva para um mundo mais sustentável. Toda a gente na cadeia de aprovisionamento está a beneficiar, dos fornecedores aos nossos clientes e marcas de desporto», refere.

Caroline Mittlerlehner, vice-presidente de especialidades da DSM Engineering Materials, acrescenta que «juntamente com a nossa parceira Sympatex, estamos a dar um importante próximo passo na nossa jornada de sustentabilidade e impulsionar a transição da indústria de recursos fósseis para recursos renováveis».

Já Shruti Singhal, presidente da DSM Engineering Materials, confessa estar «muito orgulhoso por a DSM estar a ajudar a liderar a transição para uma economia circular ao oferecer uma gama cada vez maior de alternativas de base biológica no nosso portefólio. Isso usa a nossa experiência extensiva no desenvolvimento de soluções sustentáveis, em linha com o nosso propósito de criar vidas melhores para toda a gente. E, ao trabalharmos com os nossos parceiros ao longo da cadeia de valor, vamos dinamizar a sustentabilidade na nossa indústria para novos níveis e contribuir para um futuro melhor».