Sustentabilidade guia consumidores

Os grupos de consumidores que gastam mais dinheiro, nomeadamente os que compram noutros países, adquirirem bens de luxo e os Millennials, estão a colocar as questões da sustentabilidade no topo das prioridades quando fazem as suas compras online.

[©Freepik-Tonodiaz]

De acordo com o estudo Sustainable Global Growth and Shopper Expectations da ESW, especialista em comércio eletrónico para o consumidor final, os segmentos de consumidores que mais gastam estão a ser fortemente influenciados por questões de sustentabilidade quando compram online.

O estudo, que tem por base dados de mais de 16.000 consumidores em 16 países, revela que 83% dos consumidores consideram a sustentabilidade um fator essencial quando tomam decisões de compra. Além disso, 91% dos que compram noutros países dão prioridade à sustentabilidade, gastando em média mais 4% em termos anuais do que os consumidores domésticos.

«Hoje, os consumidores mais cobiçados, que gastam mais e com mais frequência, dão prioridade à sustentabilidade quando compram online e estão ativamente a mudar o seu comportamento de acordo com o seu desejo de consumir e comprar de uma forma mais consciente em termos ecológicos. Para chegar a estes consumidores, as marcas devem dar prioridade à sustentabilidade, à transparência e a práticas ambientais positivas desde o primeiro dia», explica, citado pelo Just Style, Martim Avillez Oliveira, o português que desde o ano passado assumiu o cargo de CEO para a Europa e Reino Unido da ESW.

Atenção maior no luxo

O estudo destaca que 39% dos consumidores da Geração Z e 34% dos Millennials compram online de outro país 12 ou mais vezes por ano. Adicionalmente, 73% dos Millennials planeiam manter ou aumentar as suas compras online em 2023, posicionando-os como a faixa etária líder no comércio eletrónico mundial este ano. Os inquiridos pertencentes à Geração Z e Millennial também revelaram ser os mais preocupados com a sustentabilidade, com 94% e 93%, respetivamente, em comparação com 88% dos consumidores da Geração X e 77% dos Baby Boomers.

[©Freepik]
Em termos geográficos, e nas compras online feitas noutros países, o estudo realça que os consumidores em países como a Índia, a China, os Emirados Árabes Unidos e o México dão prioridade a critérios sustentáveis no seu processo de tomada de decisão.

Já no que diz respeito a categorias de produtos, os consumidores do luxo colocam a sustentabilidade como o fator mais importante (93%), seguidos dos consumidores de artigos de beleza (87%), eletrónica de consumo (87%) e vestuário (84%).

«Os retalhistas podem ter a certeza que os consumidores vão fazer mais do que apenas falar no que diz respeito à sustentabilidade e vão agir em relação às suas preocupações com o ambiente. As marcas sabem que fazer e distribuir produtos mais ecologicamente conscientes é caro, mas não precisam de reformular cadeias de aprovisionamento completas para satisfazer as exigências de sustentabilidade dos consumidores. Trabalhar com parceiros e fornecedores, como a ESW, que oferecem entregas neutras em carbono e fornecem embalagens sustentáveis ajuda a responder às expectativas dos consumidores e apoia o movimento mundial para limitar o impacto do consumo no ambiente», conclui Martim Avillez Oliveira.