Sustainable Apparel Coalition muda de nome

A organização chama-se agora Cascale, numa mudança que pretende refletir uma nova era para impulsionar práticas de negócio responsáveis a grande escala que abrangem mais do que o vestuário e o calçado.

[©Cascale]

A aliança sem fins lucrativos, que integra mais de 300 retalhistas, marcas, produtores, governos, académicos e associações industriais, anunciou que a mudança será oficialmente apresentada hoje, 27 de fevereiro, num evento em Londres.

«A visão da Cascale reflete a minha missão de inspirar negócios responsáveis que se comprometam com a transparência e beneficiem as pessoas e o planeta», afirma Rick Ridgeway, ex-vice-presidente de sustentabilidade e envolvimento público na Patagonia e cofundador da agora Cascale. «Este espírito colaborativo e compromisso para com a sustentabilidade teve um impacto tremendo, mas ainda temos trabalho a fazer, juntos», acrescenta.

A Walmart e a Patagonia fundaram a Sustainable Apparel Coalition (SAC) em 2009 para juntar os stackeholders da indústria de vestuário numa base pré-competitiva e desenvolver uma abordagem conjunta na medição da sustentabilidade. Atualmente contam-se, entre os seus membros, a Inditex, a Mango, o El Corte Inglés, a C&A, a Primark, a Asos, a M&S, o Capri, a Benetton, a JC Penney, a J Crew, o PVH e a Macy’s.

Em 2010, a SAC lançou a ferramenta Higg Index, que é usada pelas empresas e organizações para medir, avaliar e melhorar o impacto ambiental e social da indústria têxtil, do vestuário e do calçado. Todos os anos, refere a Cascale, mais de 24 mil utilizadores confiam no Higg Index para melhores referências, redução de auditorias e uma ação proativa.

Uma vez que empresas de artigos para a casa, artigos de desporto e outdoor e malas e bagagens começaram a juntar-se à SAC e a usar as ferramentas do Higg Index (atualmente licenciado à Worldly), a organização identificou a necessidade de um nome mais abrangente.

Cascale reflete o objetivo de escalar a ação coletiva – em janeiro de 2024, 10% dos membros da Cascale operavam ou estavam ligados a categorias de produto adjacentes ao vestuário e calçado.

A organização atua em três pilares – combate às mudanças climáticas, trabalho decente para todos e futuro positivo da natureza –, numa estratégia unificada para a transformação da indústria através de programas de ação coletiva. O Programa de Descarbonização, lançado em 2022, é um exemplo desse tipo de iniciativa, tendo como meta que os membros da Cascale atinjam uma redução de 45% nas emissões de gases com efeito de estufa até 2030. Além disso, desde o ano passado que os membros corporativos da organização são obrigados a definir metas para as emissões com base na ciência.

Atualmente a Cascale está a criar e expandir programas centrados em práticas empresariais responsáveis, design circular de produtos e produção responsável.

«Sabemos que existem sinergias entre indústrias e regiões», aponta Andrew Martin, vice-presidente executivo da Cascale. «Aproveitando a nossa experiência e sucesso a juntar diferentes atores na cadeia de valor global de vestuário e calçado para criar ferramentas e soluções partilhadas, agora é tempo de expandir a nossa abrangência e envolver uma base de membros maior para impulsionar ações coletivas a grande escala», acredita. «Juntos procuramos moldar uma indústria de bens de consumo que dê mais do que aquilo que tira ao planeta e às pessoas», conclui.