Suécia reduz importações de artigos de algodão

O mercado sueco importou 84,8 milhões de euros de artigos de algodão em 2004 correspondendo a um volume importado de 13,5 mil toneladas, na sua maioria com origem intracomunitária (70,6%). Todavia, desde a entrada deste mercado nórdico para a Comunidade Europeia, as importações têm apresentado uma tendência descendente ano após ano. Entre 1995 e 2004, as entradas de artigos de algodão (matéria-prima, fio e tecido) caíram 36,7% o que representa uma taxa de queda média anual de 5,0%. A contracção das importações suecas reflectiu a redução das entradas de todas as subcategorias de produtos desde a matéria-prima à tecelagem. De acordo com os dados do Eurostat as importações de matéria-prima e de fio de algodão lideraram as quedas com reduções de 60,1% e 61,8% respectivamente desde que a Suécia entrou para a U.E. As variações descritas traduziram-se num aumento do peso relativo dos tecidos nas importações totais de artigos de algodão em contrapartida das matérias-primas e dos fios. Esta categoria representa actualmente 81% das entradas totais, mais 9 pontos percentuais do que em 1995. Entre os principais mercados de origem dos artigos de algodão destacam-se a Alemanha e a Itália com quotas nas importações de 11,1% e 9,3%, respectivamente. Todavia, comparando com os valores do ano anterior verifica-se que, enquanto as importações da Alemanha aumentaram 1,9%, as entradas com origem transalpina registaram uma forte contracção (16,5%). Portugal foi o quinto maior mercado de origem com uma quota nas importações suecas de 6,3% totalizando um valor de 5,4 milhões de euros importados. Os fluxos do mercado nacional têm seguido a tendência de queda das importações totais de artigos de algodão suecas, contudo a taxa de redução das entradas do mercado nacional é superior à média das entradas. Neste contexto, os artigos nacionais têm perdido quota nas importações totais destacando-se a redução da quota nas importações de fios que passou de 33,7% em 1995 para os actuais 12,3%. Refira-se que de Portugal, a Suécia importa maioritariamente tecido (79%), uma vez que o fio representa apenas 21% das importações e as matérias-primas não ultrapassam os 0,1%. Todavia, este perfil de importação era bem diferente em 1995, a fiação era responsável por 62% dos fluxos de Portugal para este mercado nórdico. Esta informação é apresentada em ficha de mercado disponível no PortugalTêxtil.com