Sector têxtil de Aveiro em crise

Segundo dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional o desemprego no distrito de Aveiro aumentou 13,9% em Julho deste ano, face ao período homólogo de 2001, adiantou o diário Correio da Manhã. Só desde o início deste mês já foram despedidas mais de duas centenas de trabalhadores, principalmente nos sectores do têxtil e do calçado. O coordenador da União de Sindicatos de Aveiro, Joaquim Almeida, explica que “há aspectos e tendências preocupantes nas empresas de calçado e sector têxtil que contribuíram para o aumento do desemprego. Actualmente existem 16.916 pessoas registadas nos centros de emprego do distrito”. Aveiro é considerado um dos mais ricos e desenvolvidos distritos do País, e por essa razão o sindicalista recusa falar em crise. Na opinião do mesmo, “o problema maior reside na política dos patrões que utilizam mão-de-obra barata, sem qualificações, para poderem pagar salários baixos”, comenta. “O Governo e os patrões dramatizam a situação económica e falam de crise para que os funcionários aceitem trabalhar sob determinadas condições, que nem sempre são as melhores”, adianta Joaquim Almeida.