Sara Lee abandona actividades têxteis

O grupo americano Sara Lee ainda mal “refeito” da venda da sua filial inglesa Courtaulds ao grupo de Hong Kong PD Entreprise Limited (ver notícia no Portugal Têxtil), uma operação que deverá estar concluída a 1 de Julho, deu mais um passo na sua estratégia de divórcio do sector têxtil e do vestuário. Esta estratégia visa nomeadamente a simplificação da sua organização e a sua concentração em sectores considerados chave para o grupo: agro-alimentar, bebidas, produtos para a casa e produtos de beleza. Segundo alguns analistas, a Sara Lee “deu” a Courtaulds à PD Entreprise. «Até pagaram para se desembaraçar da filial», afirma Tim Ramay, especialista do gabinete DA Davidson, antigo vice-presidente do grupo Sara Lee. Com efeito, o grupo americano assumiu todas as reformas dos assalariados da Courtaulds. No âmbito desta operação, a Sara Lee conserva os interesses da Courtaulds em 3 joint-ventures no Sri Lanka. O grupo asiático PS Entreprise, fabricante de lingerie, pijamas e fatos de banho nas suas nove fábricas, aparentemente não quis incluir na sua aquisição estas fábricas no Sri Lanka. Neste momento o grupo americano prepara o “lançamento” no mercado da sua divisão de vestuário rebaptizada Hanesbrands, que deverá estar cotada separadamente na bolsa ainda este Verão. A spin off será concluída até Setembro, pelo que a filial procura actualmente reduzir custos antes da sua entrada na bolsa. Estes esforços parecem dar frutos já que, segundo os resultados financeiros dos últimos nove meses,o EBIDTaumentou 5%, atingindo os 318 milhões de euros. O volume de negócios cifrou-se em 2,65 mil milhões de euros, o que representou todavia um queda de 5% comparativamente com o período homólogo do ano anterior. Deste modo, a Hanesbrands, que reagrupa a roupa interior Hanes, as t-shirts Champion, a lingerie Just my Size e Bali, os collants L’Eggs e os sutiãs Wonderbra.