Salsa reduz impacto ambiental

No relatório de impacto anual referente a 2023, a marca portuguesa revela ter reduzido o consumo de energia, das emissões de CO2 e da utilização de plástico, ao mesmo tempo que aumentou o número de peças reparadas.

O documento revela os avanços, mas também as intenções da Salsa Jeans para melhorar a sua pegada ambiental. «O Become é o nosso programa de responsabilidade social e ambiental, que reflete a nossa forma de estar e o nosso compromisso com as pessoas e com o planeta. Encaramos este relatório de impacto como uma forma de medir as pequenas vitórias alcançadas e de perceber o caminho que ainda temos a percorrer», indica a marca na apresentação.

Entre as vitórias, como classifica, está a redução de 42% do consumo médio de água por peça produzida entre 2013 e 2021, graças à adoção do processo de lavandaria Betterwash, fruto do investimento realizado nas instalações industriais da Salsa.

A marca reduziu também em 10% o consumo de energia, «tendo 13% da energia consumida nas nossas instalações (que incluem, para além dos nossos escritórios centrais, um armazém de 14 000 m² e a nossa unidade industrial que assegura serviços de lavandaria, tinturaria e acabamentos especiais) sido de origem renovável e gerada a partir dos nossos painéis fotovoltaicos», aponta.

Já ao nível dos gases com efeito de estufa, entre 2022 e 2023 a Salsa reduziu em 23% as emissões de âmbito 1, apesar de ter aumentado em 6% as emissões por metro quadrado de âmbito 2. «Associamos este aumento às condições meteorológicas que se fizeram sentir, que obrigaram a um maior gasto de energia para aquecer as nossas instalações. No entanto, sabemos também, que uma das nossas prioridades assentará na sensibilização dos colaboradores para um gasto mais eficiente de energia». No total, a redução foi de 0,4%. No âmbito 3, a Salsa estima uma redução de 17% das emissões de CO2.

Uma outra vitória prende-se com «a diminuição de 69% do plástico que chega ao cliente final», resultante, nomeadamente, da eliminação do plástico nas caixas dos acessórios e da substituição do pin de plástico das etiquetas dos jeans e calções por um fio de algodão. «Além do mais, em 2021 lançámos a nós mesmos um desafio ambicioso (e que cremos único no mercado): eliminar totalmente a utilização de plástico na nossa cadeia logística de produtos denim. Tal implica conseguir a circulação destas peças em perfeitas condições entre os nossos fornecedores, armazéns, lojas, e clientes finais sem usar um único saco de plástico. Para dar resposta a esse desafio, implementámos o uso de uma cinta elástica em todas as peças de denim, e alcançámos uma percentagem de 78% de peças sem necessidade de embalagens de plástico na cadeia logística», explica a Salsa.

Em termos de produto, a marca destaca que 57% das fibras usadas nos seus artigos tiveram origem natural, que 47% dos seus fornecedores são de proximidade (onde se inclui Portugal, Espanha, Marrocos, Tunísia e Turquia) e que o programa Infinity, pensado para aumentar a durabilidade das peças, está a crescer. «Orgulhamo-nos de poder dizer que, desde o seu lançamento em junho de 2022, até ao momento, já reparámos mais de 3300 peças e recolhemos ainda mais de 950 peças que, dependendo do seu estado, serão doadas a instituições de caridade ou recicladas. No total, em 2023, fizemos 2086 reparações e 601 recolhas, o que significou que 77% dos artigos entregues pelos clientes foram reparados, isto é, ganharam uma segunda vida», salienta.

Em 2023, a Salsa lançou ainda, em parceria com o programa Incorpora Portugal, da Fundação “La Caixa”, o projeto Reborn, pensado para a reinserção social de mulheres em risco.

«Este relatório de impacto de 2023 permite-nos quantificar e avaliar o progresso conseguido nestes primeiros anos do programa Become. Mas o espaço para melhorar é grande, e a urgência crescente. Por isso, em 2024 relançamos o Become com uma visão mais ambiciosa, suportada em quatro macroprojetos que abrangem temas como a água, a circularidade, a biodiversidade e o apoio a comunidades», afirma o documento. «Delineamos também projetos de melhoria contínua com vista à redução de emissões de carbono, à implementação de matérias-primas mais responsáveis, à garantia de uma cada vez maior equidade e igualdade, à otimização do packaging e do transporte, à utilização dos materiais utilizados na cadeia logística e à introdução de políticas ESG na cadeia de valor. Todas estas ações serão implementadas com o objetivo de nos tornarmos uma marca cada vez mais ambientalmente e socialmente responsável», conclui.