Retalho europeu vende menos em agosto

Em comparação com o mês anterior, as vendas a retalho desceram 1,2% na Zona Euro e 0,9% na União Europeia em agosto. Portugal está igualmente em queda, tendo sido o Estado-Membro com maior diminuição das vendas face a julho de 2023.

[©Pixabay-Stan Petersen]

As estimativas reveladas esta semana pelo gabinete europeu de estatística Eurostat mostram que, em agosto, o volume de comércio a retalho ajustado diminuiu 1,2% na Zona Euro e 0,9% na UE, em comparação com julho de 2023, mês em que o volume de comércio a retalho tinha já baixado 0,1%.

Por tipo de produto, e na Zona Euro, em agosto foram registadas quedas nos combustíveis automóveis (-3%), alimentação, bebidas e tabaco (-1,2%) e produtos não-alimentares (-0,9%), na comparação com julho.

Já tendo em conta toda a União Europeia, as descidas foram ligeiramente inferiores: -2,4% para os combustíveis automóveis, -0,9% para alimentação, bebidas e tabaco e -0,6% para produtos não-alimentares.

Entre os Estados-Membros, destaca o Eurostat, a maior queda registada em agosto foi sentida em Portugal, com uma descida de 3% face a julho de 2023. Segue-se França (-2,8%) e Bélgica (-1,5%). Croácia (-1,3%) e Alemanha (-1,2%) também sentiram uma redução das vendas acima de -1%.

Em sentido contrário, Luxemburgo (+1,9%), Polónia (+1,7%) e Dinamarca (+1,6%) registaram os maiores crescimentos. Para além destes três, Eslováquia (+1,4%), Irlanda (+1,3%), Lituânia (+1,3%) tiveram igualmente comparações positivas acima de 1%.

Nas comparações anuais, as estimativas são ainda mais negativas. Na Zona Euro, as vendas a retalho terão caído 2,1% em agosto de 2023 face a agosto de 2022, enquanto na UE a queda terá sido de 2%.

A redução foi mais acentuada em todos os segmentos de produto, com exceção dos artigos não-alimentares: -7,7% na Zona Euro e -7,4% na UE nos combustíveis automóveis, -3,2% na Zona Euro e -3% na UE em alimentação, bebidas e tabaco e -0,2% na Zona Euro e -0,1% na UE nos produtos não-alimentares.

Entre os Estados-Membros para os quais existem dados, as maiores diminuições nas vendas a retalho registaram-se na Eslovénia (-21,5%), na Bélgica (-8,5%) e na Estónia (-7,9%), enquanto os maiores crescimentos foram sentidos no Luxemburgo (+8,7%), em Espanha (+8,1%) e em Chipre (+5,9%).

No caso de Portugal, em agosto as vendas a retalho caíram 0,4% em comparação com agosto de 2022.