Reebok leal à produção indonésia

A gigante de vestuário desportivo Reebok International Ltd declarou manter-se fiel à produção de artigos da Indonésia, depois de cerca de 1000 trabalhadores terem organizado um protesto onde afirmavam que o corte de encomendas levou ao corte de salários. Os manifestantes pertenciam a uma fábrica na cidade de West Java em Bandung, possuída pela PT Primarindo Ásia Infrastructure Tbk, uma das empresas na Indonésia que produz calçado para a Reebok. Mas a empresa produtora de calçado defendeu que a Indonésia era o segundo maior investimento a nível global em calçado, com mais de 25% da produção mundial. “A Reebok continua comprometida com a produção Indonésia, como demonstrou aos 19.700 trabalhadores que continuam empregados em três fábricas”, afirmou Hugh Hamill, vice-presidente da Reebok para a produção e desenvolvimento do calçado no Extremo Oriente. Em declarações a empresa afirmou ainda que a decisão de cortar as encomendas seguiu-se a uma revisão anual com o objectivo de melhorar a “eficiência dos negócios”, levando também ao corte ou encerramento de duas fábricas noutros países.