Qualidade e diversidade para homem em destaque

O ICEP, o CENESTAP e a Fundação Ciência e Desenvolvimento promoveram segunda e terça-feira num dos pavilhões do CITEVE em Vila Nova de Famalicão, o show-room de apresentação de tecidos e acessórios aos 24 jovens estilistas candidatos ao II Concurso Internacional de Jovens Estilistas de 2002, no âmbito do Porto Fashion Awards (PFA), a ter lugar em Novembro. O evento contou ainda com a presença de um professor de cada uma das quinze escolas de moda dos seis países convidados, designadamente França, Itália, Alemanha, Espanha, Reino Unido e Portugal, assim como das 24 empresas nacionais que disponibilizaram as melhores colecções de tecidos, malhas e acessórios para a composição dos coordenados a concurso. Cada candidato deverá apresentar propostas para 8 coordenados, nas categorias de Homem, Senhora ou misto, devidamente acessorizados e, subordinados ao tema “ A arte e a moda”. O Jornal Têxtil falou com alguns dos candidatos e professores presentes, num evento caracterizado pela constantemente referida qualidade e diversidade de materiais clássicos para homem, pela extrema disponibilidade das empresas presentes, pela ausência de tecidos coloridos e inovadores para senhora, destacando os estampados, pela elevada temperatura que desnorteou alguns dos jovens e pelos parabéns à organização. Laetitia Schlumberger, aluna da Esmod de Paris, gostou da escolha que viu, salientando a qualidade do algodão e a beleza dos tecidos “crus”. Gostou igualmente das malhas e salientou a variedade de possibilidades para colecções de homem, sugerindo à organização que seria curioso considerarem numa próxima edição a apresentação de peles. Géraud Gonzalez, professor do Studio Berçot, referiu que houve muita variedade de tecidos finos, característicos de países do Sul, o que é bom, mas não houve muitos estampados, o que seria necessário para produzir moda. Maxim Guy, um dos seus alunos, refere que a qualidade é boa, e que há toda uma variedade que permitirá fazer um bom trabalho. Llorenç Pons, da Escuela de Artes e Técnicas de la Moda de Barcelona, disse que o saldo é muito positivo, embora a variedade seja pequena. “Há muito bom tecido para camisaria e para fatos de homem. Agradecemos a oportunidade e damos os parabéns à organização”, salientou. Esther Roco, do Centro Superior de Diseño e Moda de Madrid, referiu que faltaram as entretelas, e que encontrou muita variedade para homem e menos para senhora. Ana Luisa correia do Civec, declarou que encontrou muita variedade, e que para o trabalho de contrastes que tinha em mente encontrou exactamente o que queria. Laura Brufani, professora na Accademia Koefia, em Itália, salientou que “nos tecidos clássicos para homem há muita qualidade, e que gostaria de ter encontrado mais variedade de tecidos para peças desportivas, mais acessórios e um pouco mais de cor e inovação”. Os seus alunos Carmine Purgato e Veronica Sandolo, que se encontravam então a acompanhá-la, confirmaram a inequívoca qualidade dos materiais presentes no evento. Carola Putensen e Marie Haidacher, da Esmod de Berlin e de Munique respectivamente, confirmaram que os tecidos para homem eram bons e acrescentaram serem também confortáveis. Julian Smith, de quem se diz ir poder vir a ser brevemente um assistente do homem forte da casa Christian Dior, salientou que havia uma grande escolha, sobretudo de tecidos sintéticos. “Apenas refiro alguma falta de estampados, mas estou a escolher os tecidos e vou estampá-los eu mesmo”, acrescentou. As empresas presentes (cuja lista anexamos) foram unanimes a referir uma escolha variada consoante os alunos, evidenciando a tendência lógica da escolha de cores de verão, pois de uma colecção de Verão se trata, destacando-se o laranja e o verde. O desfile final será realizado no Porto durante uma Gala na Alfândega do Porto, no dia 9 de Novembro do corrente ano. Os trabalhos dos candidatos serão avaliados por um Júri internacional composto por especialistas oriundos de todos os países envolvidos que escolherão um vencedor por país e entre estes, o vencedor absoluto do 2º Concurso Internacional de Jovens Estilistas. As empresas presentes no evento foram: A FIANDEIRA – FIAÇÃO E TECELAGEM DE FIBRAS E MISTOS, S.A. A PENTEADORA – SOCIEDADE INDUSTRIAL DE PENTEAÇÃO E FIAÇÃO DE LÃS, S.A. A TÊXTIL DE SANTO TIRSO DE A. SAMPAIO E FILHOS,LDA ARCO TEXTEIS – EMPRESA INDUSTRIAL DE SANTO TIRSO, S.A. BARCATEXTIL – INDUSTRIA TEXTIL DA BARCA, LDA BEIRALà – LANIFICIOS, S.A. CUSTOITEX – CUSTOIAS TEXTIL, LDA FÁBRICA TÊXTIL RIOPELE, S A FARELEIROS – FABRICA DE LANIFICIOS, S.A. FITECOM – COMERCIALIZAÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO TEXTIL, LDA GIERLINGS VELPOR – VELUDO PORTUGUÊS, S.A. HELIOTEXTIL – ETIQUETAS E PASSAMANARIAS, S.A. L.M.A. – LEANDRO MANUEL ARAUJO, LDA (LMA) LOUROPEL – Fábrica de Botões, Lda. M.MONTEIRO & COSTA, LDA MALHAS SONIX, S.A. NOVA PENTEAÇÃO E FIAÇÃO DA COVILHÃ, S.A. PAULO DE OLIVEIRA, S.A. SOCIEDADE TEXTIL A FLOR DO CAMPO, S.A. SOCORTE-Ind. De Fitas e Viés, Lda. SOMELOS – TECIDOS, S.A. Swarovski Iberica / Swarovski Iberica, S A TEVIZ – TEXTIL VIZELA, S.A. TMG – TECIDOS PARA VESTUÁRIO E DECORAÇÃO, S.A