Puma fecha o círculo

Re:Jersey é o novo processo da Puma que coloca a circularidade na linha da frente. A marca desportiva está a testar um método de produção inovador que transforma as camisolas de futebol velhas em novas, com o objetivo de reduzir o desperdício e abrir caminho para modelos de fabrico mais circulares no futuro.

[©Puma]

O projeto Re:Jersey da Puma, que visa sobretudo as camisolas de futebol, transforma todo o tipo de vestuário usadas com logotipos, bordados ou emblemas de clubes, que antes dificultavam os esforços da reciclagem, em roupa nova.

No processo de reciclagem utilizado, as peças são decompostas quimicamente nos seus componentes principais (despolimerização), as cores são filtradas e o material é quimicamente reconstituído para criar um fio (repolimerização) com as mesmas propriedades de performance do poliéster virgem.

Atualmente, os uniformes de futebol da Puma no mercado são já fabricados com poliéster 100% reciclado, mas os uniformes Re:Jersey serão fabricados com 75% de camisolas de futebol reaproveitadas. Os restantes 25% virão da Seaqual Marine Plastic, poliéster obtido a partir de plástico retirado dos oceanos.

«Com o projeto Re:Jersey queríamos desenvolver formas de reduzir o nosso impacto ambiental, respeitar os recursos e reutilizar os materiais», afirma Howard Williams, diretor de tecnologia de vestuário da Puma. «Os resultados obtidos com este projeto irão ajudar-nos a desenvolver mais produtos circulares no futuro», acrescenta.

No campo de treino

Os produtos fabricados através deste processo serão usados em campo durante os aquecimentos prévios ao jogo pelos clubes patrocinados pela Puma, como o Manchester City, AC Milan, Borussia Dortmund e Olympique de Marseille.

[©Puma]
As equipas envergarão as camisolas antes dos respetivos jogos da Liga no final de abril e maio, começando com o Manchester City contra o Watford a 23 de abril.

O projeto piloto Re:Jersey faz parte do Circular Lab da Puma e da plataforma de sustentabilidade da marca, Forever Better. No ano passado, a insígnia anunciou o projeto Re:Suede com o objetivo de testar a possibilidade de fazer uma versão biodegradável do icónico modelo de sapatilhas Suede. Mais recentemente apresentou a tecnologia Ultraweave, que permite criar as camisolas para futebol mais leves de sempre, com ganhos ao nível da velocidade para os jogadores.

Presente em mais de 120 países, a Puma emprega cerca de 16 mil pessoas em todo o mundo. Com sede na Alemanha, a insígnia tem procurado colaborar, nos últimos anos, com designers e marcas à escala internacional, tentando assim intensificar a cultura do desporto na moda.