Puma cresce com a ajuda do mundial

A empresa alemã de calçado desportivo, Puma, apresentou na passada quinta-feira um aumento dos seus lucros e das vendas no segundo trimestre, o que provocou um aumento das acções em cerca de 10%. A empresa adiantou que os lucros antes de impostos para o período destas últimas 13 semanas triplicou, para 24,5 milhões de euros, em comparação com o período homólogo, enquanto as vendas tiveram um enorme aumento de 129,3 milhões de euros para 205,9 milhões de euros. A Puma explicou que os seus resultados foram impulsionados pelo Mundial de Futebol na Coreia, e reafirmou que espera que os lucros anuais antes de impostos ultrapassem os 100 milhões de euros – no exercício anterior ficaram-se pelos 57 milhões de euros. Para além disso, a empresa prevê um crescimento de 40% nas vendas. No que respeita às vendas europeias, a subida foi de 63,4%, para 133,8 milhões de euros, no continente americano as vendas aumentaram 56,8%, para 56,3 milhões de euros, na Ásia cresceram 8,2%, fixando-se nos 10,4 milhões de euros, na África e no Médio Oriente as vendas triplicaram para 9,5 milhões de euros. O presidente e director geral da Puma, Jochen Zeitz, declarou que “num ambiente económico competitivo, estamos contentes por ter terminado a primeira metade de 2002 com resultados fortes no segundo trimestre e antecipamos que 2002 será um ano espectacular para a Puma”.