Puma acelera reciclagem do têxtil ao têxtil

A marca está a substituir o poliéster reciclado produzido a partir de garrafas PET por fibras recicladas com recurso à tecnologia Re:Fibre, que irão ser usadas na produção das camisolas para adeptos de clubes e seleções de futebol a partir de 2024.

[©Puma]

Desde o lançamento do projeto piloto em 2022, na altura sob a designação Re:Jersey, em que a Puma produziu camisolas de treino para os clubes de futebol que patrocina, a tecnologia Re:Fibre foi usada para criar os kits para os adeptos das seleções da Suíça e de Marrocos para o Campeonato Mundial Feminino, assim como o terceiro equipamento alternativo do Girona para a época 2023/2024.

A partir do próximo ano, contudo, todas as camisolas de futebol oficiais para adeptos de equipas patrocinadas pela Puma, incluindo para o Campeonato da Europa e para a Copa América, serão produzidas com materiais reciclados com a tecnologia Re:Fibra, que serão, dessa forma, feitos a partir de vestuário descartado e resíduo pós-industrial em vez de apenas garrafas de plástico recicladas, indica a marca em comunicado.

O processo da Re:Fibre usa qualquer material de poliéster – desde desperdícios do corte a vestuário usado – e permite a reciclagem de têxteis de qualquer cor e a produção posterior de têxteis com a cor desejada.

Após a recolha e seleção dos resíduos têxteis, os materiais são desfeitos e misturados, a que se segue a dissolução, filtragem e polimerização, através de um processo de reciclagem química. Depois de fundido, é possível produzir novos polímeros, que passam pelo processo de extrusão e fabrico de fio pronto a ser usado na produção de novos têxteis, que podem ser reciclados indefinidamente, segundo a Puma.

«O nosso desejo é ter 100% de produtos de poliéster feitos a partir de resíduos têxteis», revela Anne-Laure Descours, diretora de aprovisionamento da Puma. «Os resíduos têxteis que se acumulam em aterros são um risco ambiental. Repensar a forma como produzimos e avançar para um modelo de negócio mais circular é uma das principais prioridades da nossa estratégia de sustentabilidade», conclui.