Projeto espanhol está a inovar na reciclagem

O Recimap, financiado por fundos regionais e europeus, está a usar líquidos iónicos e técnicas mecânicas e químicas para tratar resíduos têxteis com misturas de poliéster/algodão para aumentar a circularidade na indústria.

[©Aimplas]

O projeto, liderado pela empresa de calçado Bespoke Factory Group e financiado pela Agência Valenciana de la Innovació, com cofinanciamento da União Europeu, pretende encontrar novas abordagens ao problema destes resíduos e promover a circularidade na indústria.

«O projeto Recimap dá um contributo significativo para a economia circular, sobretudo tendo em conta a quantidade de resíduos têxteis esperados nos próximos anos, em parte devido à legislação europeia sobre a responsabilidade alargada do produtor. Isto sublinha a necessidade de encontrar soluções efetivas para este resíduo e dar oportunidades às empresas valencianas para melhorarem a sua competitividade», destaca Belén Taroncher, investigadora principal o grupo de reciclagem química do Aimplas, o centro tecnológico do plástico, que faz parte do consórcio, tal como a Universidade de Valencia e o consórcio Valencia Interior V3.

A pesquisa está a ser feita com base numa via inovadora de reciclagem que transforma este resíduo complexo em materiais reciclados de elevada qualidade e ácido lático, um componente essencial para a produção de ácido polilático (PLA), um bioplástico que representa 27% da produção mundial de bioplásticos.

O Recimap está focado na separação seletiva das misturas de poliéster e algodão através da síntese e utilização de líquidos iónicos, que oferece uma alternativa mais sustentável aos solventes tradicionais. A parte do poliéster é reciclada através de técnicas mecânicas e químicas para obter poliéster reciclado, enquanto a parte do algodão é usada na produção de ácido lático através de um processo de fermentação do ácido lático.

«O projeto Recimap representa uma inovação técnica e de negócio significativa ao assumir uma nova abordagem à reciclagem que recupera resíduos têxteis complexos ao mesmo tempo que gera materiais reciclados de elevada qualidade com um valor económico significativo. Isso inclui poliéster reciclado, que tem uma pegada carbónica mais baixa do que o poliéster virgem, e ácido lático, um componente essencial para a produção de PLA», sublinha Belén Taroncher.