Produtores romenos querem tornar-se mais baratos

O inquérito realizado pela empresa de consultoria Avanz, no âmbito da feira de sourcing de Bucareste, Romania Fabric Days, teve a participação de 120 empresas, na sua grande maioria de vestuário, oriundas da Roménia. A maioria quer também aumentar a sua produtividade (65 por cento) e proceder a uma melhoria dos produtos e serviços relacionados com as exportações (58 por cento). Apenas 44 por cento querem vender no mercado interno e uma em cada três quer investir em novas máquinas. Grande parte dos inquiridos está satisfeito com os seus resultados actuais, 8 por cento descreve a sua situação como excelente e 14 por cento como muito boa. Apenas para um terço a situação não parece ser tão favorável e para 9 por cento é mesmo má. Os produtores estão menos contentes com a cadeia de fornecimento de tecidos apontando-lhe falhas. Três quartos dos inquiridos caracterizaram a situação como «não tão boa» (41 por cento) e «má»(34 por cento). A Romania Fabric Day é uma feira internacional de tecidos, acessórios e serviços pata a indústria de vestuário que decorre durante dois dias, duas vezes por ano, em Bucareste. «Após negociações com as grandes empresas internacionais de tecidos acordamos uma data entre três a quatro semanas depois da Première Vision, em Março e Outubro», explica Dietmar Stiel, que organizou com a sua empresa de consultoria Avanz, pela primeira vez, em Março de 2006 a Romania Fabric Day. A feira acolheu 72 empresas, das quais cerca de metade era originária da Roménia, 47 por cento eram produtores de acessórios e 33 por cento produtores de tecidos. Foram recebidos 1240 visitantes, três quartos dos quais da Roménia e cerca de 9 por cento da UE. A próxima edição está planeada para 19/21 de Outubro contando com 150 expositores.