Produção de algodão contraria procura

Esta é a previsão do Ministério da Agricultura dos EUA. Os stocks deverão situar-se em 50 milhões de fardos comparativamente aos60 milhõesdo ano anterior. Os fardos têm, de acordo com as normas actuais dos EUA, cerca de 218 quilos. Esta diminuição resulta do aumento contínuo da procura mundial de algodãoeda queda simultânea da sua produção, segundo o Ministério da Agricultura dos EUA. Uma vez que preços do algodão desceram na última época, a área de cultivo de 2005/06 sofreu uma redução de cerca de 2 por cento. Devido ao desequilíbrio entre a elevada procura do algodão e a sua reduzida produção, os especialistas antecipam desde já um aumento do preço do “ouro branco”. De acordo com as estimativas do Ministério da Agricultura dos EUA, a produção mundial de algodão deverá situar-se nesta época nos 112 milhões de fardos o que equivale a uma descida de 7 por cento relativamente à época de 2004/05. Esta situação vai reflectir-se na diminuição da área de cultivo dos principais países produtores. De forma clara e contrastante vai assistir-se a um aumento da procura mundial, assim como a um novo recorde devido à subida de 5 por cento, atingindo os 114 milhões de fardos. O detentor do mesmo é a China que somente nesta época arrecadou 43 milhões de fardos, isto é, 37 por cento da oferta mundial de algodão. Na corrente época, o total foi de cerca de 39 milhões de fardos de algodão. A China, com 16 milhões de fardos é também o maior importador a nível mundial. Como termo de comparação, a estimativa do Ministério da Agricultura dos EUA para as importações de algodão da União Europeia é de 3 milhões de fardos. O país que se segue à China é a Índia com cerca de 17 milhões de fardos e a terceira posição é ocupada pelo Paquistão com cerca de 12 milhões de fardos.