Primavera-verão 2023 criativa e divertida

A estação quente de 2023 traz, para o vestuário de criança, tendências apoiadas em materiais inteligentes e peças versáteis, criatividade e estética sem limites e uma felicidade que vem de dentro para fora. Design-Wise, Full Spectrum e Soul Space são as direções que agrupam as cores e inspirações avançadas pelo WGSN.

[©Lucky Try]

Design-Wise

Esta é uma tendência que se apoia em roupa infantil mais inteligente e mais simples, que resulta em artigos versáteis que duram mais tempo. Design-Wise é impulsionada pela crescente exigência dos consumidores por produtos, experiências e sistemas mais inteligentes, simples e sustentáveis, no caminho para um mundo mais justo. São designs democráticos e inclusivos que duram mais tempo e podem ser utilizados de múltiplas formas, solicitando que os criadores façam não só um produto para ser usado no presente, mas também no futuro.

Ingredientes e materiais inovadores (como tecidos autolimpantes e aromas moleculares) fazem parte desta tendência. As cores são usadas com confiança e claridade, estando incluídas nesta tendência o roxo flor de jacarandá, o verde sumo de aipo e o amarelo frésia. Os padrões são inspirados em mapas de dados, sequências matemáticas e símbolos arcanos.

Design-Wise [©Wolf & Rita]
A inclusividade de Design-Wise reflete-se nas propostas de outdoor, tanto em termos de género como de variedade de corpos, abrangendo crianças com deficiência. O vestuário exterior é prático, com avanços nos materiais como secagem rápida e acabamentos antirruga e antinódoas amigos do ambiente.

O loungewear mantém-se como uma direção em Design-Wise na primavera-verão de 2023, incluindo artigos que pisam a barreira do dormir e do brincar, mas com mais estrutura, afastando-se das malhas para looks mais refinados, de que são exemplo as propostas de jinbei (uma indumentária casual usada pelos japoneses no tempo mais quente) da marca portuguesa Wolf & Rita.

A tendência alinha-se ainda com o feito por encomenda, que permite reduzir o desperdício, nomeadamente por excesso de stocks.

Full Spectrum

Esta direção representa a celebração da criatividade, da alegria e do maximalismo, uma explosão de cor e estética após a época de restrições causada pela pandemia. Full Spectrum assume-se não-conformista, onde vale quase tudo e engloba visões divergentes e diversas.

É uma tendência com elementos contrastantes, combinados de uma forma espontânea e divertida. Os estilos desportivos são alegres e frívolos e os artigos para explorar o mundo natural exterior juntam elevada funcionalidade com alta moda. A comunidade é chave, por isso as marcas e produtos que permitem que as pessoas se liguem em torno de histórias locais e globais autênticas, estéticas partilhadas e valores terão um impacto mais forte.

Full Spectrum [©Kaka Design]
As cores, retiradas do espectro do arco-íris, são usadas sem desculpas de modo inesperado – palmeiras cor-de-rosa e pores do sol sintéticos, por exemplo – e as formas variam do fluído às propostas mais teatrais e extravagantes. As texturas podem ser macias ou granulosas e os estampados são maximalistas, incluindo slogans subversivos.

Full Spectrum capitaliza o sentimento de esperança dos consumidores e inspira-se nos mini-ativistas da Geração Alpha, ao mesmo tempo que alimenta a ascensão das marcas coloridas e inclusivas em termos de género. A tendência entra igualmente num futuro digitalmente imersivo, com a expansão de avatares customizáveis, colecionáveis virtuais e a exploração do ecossistema de NFT (ativos não-fungíveis), como o sistema estreado pelo My Virtual Closet em Harbour City, Hong Kong, onde as crianças podem gerar avatares virtuais realistas e vesti-los com peças de vestuário digitais.

Há ainda lugar à exploração dos sentimentos no vestuário, que se podem expandir para outro tipo de artigos, como brinquedos e artigos para a casa. A série Monstros: Ao Trabalho! da Disney trouxe criaturas simpáticas para o universo infantil, que podem ser exploradas nesta estação em t-shirts, camisolas com capuz, denim e acessórios.

Soul Space

Esta tendência abraça a busca por contentamento e calma interior e, como tal, é infundida por piqueniques divertidos, passeios na natureza e técnicas artesanais. À medida que a agitação dos últimos anos acalma, Soul Space explora como encontrar o equilíbrio e a felicidade, tanto individual como coletivamente, bebendo numa série de inspirações ligadas à procura por significado e consolo, através do romance de estilos de vida rurais, o conforto de casa, o apelo de locais longínquos ou a nostalgia por tempos melhores.

Soul Space [©Apolina]
Produtos que promovem o bem-estar, o autocuidado e rituais de cura serão especialmente relevantes, assim como ingredientes e processos mais puros, nomeadamente no tingimento com pigmentos naturais, texturas em bruto e materiais regenerativos. A ciência e a tecnologia serão igualmente importantes, com as bio-inovações a tornarem-se mais escaláveis, resultando em designs sem petroquímicos que trabalham com o meio ambiente e não contra ele.

A cor é usada de forma emotiva nesta direção, desde os azuis mais tranquilos aos ocres confiáveis, passando pelos rosas e laranjas animadores, numa paleta que apela ao consumidor nostálgico e imita o mundo natural, com pores do sol retro, paisagens intocadas e tonalidades florais, como o lavanda digital e o rosa framboesa.

Soul Space celebra o verão infinito, com looks de surf e skate atualizados e com um toque boémio, com silhuetas reminiscentes dos anos 70, como as calças boca de sino – é o regresso da nostalgia das férias e das aventuras de verão à beira-mar. A inspiração costeira traduz-se em temas tradicionais de resort, com riscas e grafismos inspirados em souvenirs, e visuais náuticos, com golas de marinheiro e detalhes de cordas.