Prêt à Porter Paris não convence

Pretenso encontro de tendências criativas, mas também comportamentais, o salão Prêt à Porter Paris mostra dificuldades de (re)encontrar um lugar ao sol no panorama do pronto moda. 40.484 visitantes (menos 2% em relação a Janeiro de 2008), dos quais 42% estrangeiros, são os números que marcaram esta edição em que a Itália, Espanha, Bélgica, Reino Unido e Japão ocuparam o topo da lista dos visitantes. Como sempre, em cada stand sua sentença. Onde uns desesperam, outros parecem ignorar a famosa crise. Uma coisa é certa: todos se deparam com novas tendências de consumo, nomeadamente o slowear, às quais se adaptam melhor ou pior. Instalada na The Box, Lise Lindving confirma este fenómeno. Embora lamente uma frequência mais fraca «certamente devido à conjuntura», diz-se «satisfeita com a qualidade dos compradores. Deram-nos um excelente feedback em relação à colecção e muitos marcaram reuniões no showroom em Paris», revela a criadora dinamarquesa. Para Adeline Cacheux «não houve muitos compradores internacionais. Os franceses marcaram presença, sobretudo as lojas que vão abrir em breve». Em pleno lançamento da sua própria marca, Ipokamp Touch, Martine Chapeau sublinha «que muitos estiveram presentes para encontrar possibilidades de reaprovisionamento. O que nós podemos fazer graças às nossas edições limitadas». Na sombra do anonimato, muitos dos decepcionados não economizavam nas palavras: «a frequência foi má. Tivemos a impressão de que houve mais expositores do que visitantes!», lamentavam. «Estamos deprimidos!». Alguns, no entanto, estavam já preparados para o que poderiam encontrar, já que os seus clientes os preveniram, antes da feira, que não iriam estar presentes. A organização do evento tentou, no entanto, melhorar os serviços, oferecendo, por exemplo, o Fashion Escorts: personal shoppers em versão profissional para acompanhar os compradores por entre as 1.500 marcas apresentadas nos 65.000 m² de área de exposição. Além disso, a feira alargou os campos de interesse nesta 107.ª edição, com a realização de diversas conferências e 16 desfiles de moda. De destacar igualmente a mostra “Os acessórios da Barbie”, que se associou assim à comemoração do 50.º aniversário da boneca mais famosa do mundo.