Première Vision prepara edição de verão

A feira de têxteis e confeção irá realizar-se de 2 a 4 de julho e vai reforçar a abordagem sustentável que tem implementado, nomeadamente com o deadstock e o programa “a best way”. Entre os mais de 900 expositores inscritos, estão 43 empresas portuguesas.

A feira internacional, que apresentará propostas de fios, tecidos e malhas, acessórios, couro, design têxtil e confeção, conta, até ao momento, com 931 empresas inscritas, provenientes de cerca de 40 países, a maioria europeus, mas também asiáticos, do Japão à Coreia do Sul e à China.

De Portugal, segundo o website da Première Vision, estarão 43 empresas, incluindo o as estreias da Flor da Moda e a da Lusomintex.

Realizando-se três semanas antes do início dos Jogos Olímpicos de 2024, a Première Vision Paris está a abraçar a celebração do desporto. «Ao longo das décadas, os avanços e inovações na indústria da moda criativa influenciaram profundamente o mundo do desporto, tanto na sua procura de desempenho como nas suas expressões de elegância. O resultado? Produtos mais confortáveis, resistentes aos raios UV, repelentes à água, à prova de vento, mas respiráveis, de secagem rápida… A Première Vision Paris orgulha-se de acolher várias centenas de desenvolvimentos de materiais no universo Sport & Tech, uma oportunidade para descobrir e explorar as inovações e tendências destinadas a moldar o futuro do vestuário desportivo», descreve a organização.

Na área da sustentabilidade, o programa “a best way” – lançado para reconhecer os esforços e investimentos dos expositores no desenvolvimento de uma moda mais sustentável – vai comemorar, nesta edição, o seu primeiro aniversário. «Em resposta às crescentes preocupações sobre o impacto ambiental e social da produção de vestuário, este programa está empenhado em dar às marcas maior visibilidade no seu aprovisionamento, promovendo as abordagens mais virtuosas dos expositores. Ao enfatizar práticas sustentáveis, maior transparência e elevados padrões éticos, “a better way” funciona como um catalisador de mudança, satisfazendo as expectativas de marcas e consumidores preocupados com a origem e o impacto das matérias-primas», destaca.

A Première Vision repete igualmente, no espaço Smart Creation, uma área dedicada aos deadstocks, na qual destaca a presença das empresas especialistas Adapta e Nona Source.

«O universo Smart Creation destaca as abordagens sustentáveis ​​dos expositores, onde a inovação, o ecodesign e as soluções tecnológicas estão a moldar o futuro da moda», resume a organização.