Première Vision Pluriel cresceu !

Com 50.000 mil visitantes provenientes de todo o mundo, que representou um crescimento de 7% em relação à edição de Março, terminou a segunda edição da Première Vision Pluriel, o grande salão parisiense, que engloba no Parc d’Expositions de Paris-Nord Villepinte, cinco eventos ligados ao mundo da moda: a Première Vision (tecidos e tendências), Expofil (fios e fibras), Índigo (estamparias e design têxtil) e Mod´Amont (acessórios), e o Le Cuir à Paris (couro e complementos). Assim, de 21 a 24 do mês de Fevereiro, um espaço de 113.000 mil metros quadrados acolheu as colecções de 1.332 expositores, número que representou um crescimento da oferta na ordem dos 24%. O maior número de expositores era proveniente de Itália (54%), seguida da França (27%) e de Espanha (12%). Houve, no entanto, um ligeiro decréscimo nos visitantes da Première Vision e da Expofil (46.300, o que representa -2,8%), que eram, na sua grande maioria europeus (77% do total). Aumentaram os compradores da Grã-bretanha (+15%), da Hungria (+10%) e da Rússia (+30%), mas também da Coreia do Sul (+30%). A próxima edição da Première Vision Pluriel terá lugar de 19 a 22 Setembro. Os expositores nacionais, como habitualmente, marcaram positivamente a sua presença. Na Première Vision, a delegação nacional era composta por 21 expositores: A. Sampaio & Filhos, Arco Têxteis, Beiralã Lanificios, Estamparia Textil Adalberto, Fabricas Barros III, Fareleiros, Fast Track By TMG, Flor do Campo, Gierlings Velpor, LMA, Mouras do Pereirinho, Oliveira Ferreira, Paulo de Oliveira, Penteadora, Riopele – Niki Bosch, Selectiva Moda, Somelos Tecidos, Tessimax, Teviz, TMG e V Fino. A Associação Selectiva Moda, constituída pela ATP e pela ANIL, com a parceria pública do ICEP e PRIME, também esteve presente, com um stand de apoio aos expositores nacionais e que mostrou os painéis de tendências elaborados pela Unidade de Tendências do CITEVE. A Expofil mostrou as propostas de 3 expositores: Tearfil, Fisipe e Fiação da Graça. Quanto à Modamont, Portugal está representado pela Idepa. O Portugal Têxtil (PT) recolheu os depoimentos de alguns dos expositores portugueses presentes na Première Vision. Quanto à Expofil e Modamont, brevemente serão também objecto de notícia, os expositores nacionais presentes. Fausto Cardoso, director-geral da Beiralã, faz um balanço positivo da participação da empresa na feira, apesar de realçar «um ligeiro decréscimo no número de visitantes, natural para as empresas de lanifícios na edição de Fevereiro, uma vez que apresenta as colecções de Primavera/Verão. No entanto, menos visitantes não é, necessariamente, um indicador negativo. E neste caso, creio que não é. A redução deve-se ao facto das equipas enviadas pelas empresas serem menores, mas cuja visita é mais “cirúrgica”, e por isso, mais proveitosa para os expositores». Quanto à Milano Única, onde a Beiralã também esteve presente, Fausto Cardoso é da opinião que, «para já, a Première Vision ainda não sente os efeitos do novo conceito da feira italiana. Creio que durante nos próximos dois anos, que se traduzem em quatro edições, a situação vai ser clarificada, e a Milano Única, que ainda apresenta problemas ao nível da organização, pode vir mesmo a tomar o lugar da feira francesa. Mas ainda é cedo para tirar conclusões, tendo em conta que o mercado está em constante mutação». Quanto à estratégia, o seu director-geral realçou a forte aposta da empresa no mercado russo e nos mercados de leste, em geral. «A Première Vision, para a Somelos Tecidos, correu bem, aliás, como já é habitual. Lamentamos apenas o facto, inexplicável, de terem alterado a nossa localização, lamento que já transformamos em protesto e pedido de explicação à organização da feira. No entanto, apesar deste “contra-tempo”, a componente comercial da nossa participação não foi afectada, quer no que diz respeito aos clientes habituais, quer no que diz respeito a novos contactos», afirmou Carlos Dias, responsável do Gabinete de Design da empresa. Quando questionado sobre a presença de expositores oriundos de países emergentes, Carlos Dias afirmou que essa presença não é novidade, mas espera que não tenha como consequência a “morte” da Première Vision, como feira de referência europeia e mundial. O PT também falou com Manuela Soares, do departamento comercial da LMA, que considerou a participação positiva, nomeadamente no que se relaciona com a marca Alitecno, «que foi visitada por clientes muito importantes, como a Adidas, Nike, ou Umbro, só para mencionar alguns, que era um dos nossos objectivos. Também houve uma continuidade muito positiva de contactos anteriores e houve uma percentagem apreciável de novos contactos». A colecção apresentada teve como novidade uma linha de tecidos para banho estampados, com propriedades impermeáveis, anti-microbianas e anti-fogo.