Preços do algodão em queda

O consumo mundial de algodão em 2019/2020 deverá registar um declínio de 12%, com a procura a diminuir devido ao Covid-19. No final do ano, os preços médios deverão ser inferiores a 0,72 dólares e as projeções apontam para que caiam ainda mais em 2020/2021, atingindo o nível mais baixo desde a crise económica de 2007.

Desde o início de 2020, os preços futuros do algodão desceram 30%, fruto do encerramento das lojas em todo o mundo e consequente redução de encomendas às empresas têxteis.

As mais recentes projeções do International Cotton Advisory Council (ICAC), publicadas no dia 2 de maio, mostram um declínio de 11,8% no consumo em 2019/2020.

«Sabíamos desde logo que seria mau, a única questão era: quão mau? Estamos a começar a perceber agora», refere, em comunicado, o grupo intergovernamental. «Com a economia mundial paralisada e as cadeias de aprovisionamento destruídas, as atuais projeções revelam um declínio de 11,8% no consumo de algodão, reduzindo o comércio mundial para 8,26 milhões de toneladas em 2019/2020», acrescenta. O consumo mundial deverá baixar para 22,9 milhões de toneladas, em comparação com as 26 milhões de toneladas consumidas em 2018/2019.

O ICAC aponta ainda que «embora haja esperança numa vacina ou cura, ou que o tempo mais quente no hemisfério norte vá minimizar o impacto do Covid-19, não pode haver uma verdadeira recuperação económica se não houver primeiro uma recuperação da saúde. Se vamos ou não entrar numa depressão mundial – uma longa recessão com o desemprego a chegar a 33% – será determinado pela eficácia das políticas governamentais».

Incerteza afeta época de 2020/2021

A incerteza devido à pandemia juntamente com as atuais tensões comerciais estão a afetar as decisões de plantação dos agricultores.

Em 2020/2021, a área mundial de cultivo deverá cair 4%, para 33 milhões de hectares, com a Índia a continuar a ser líder mundial, apesar da descida para 12 hectares. A área total de plantação da China deverá diminuir para 3,08 milhões de hectares e no Paquistão a área plantada vai baixar para 2,37 milhões de hectares. Nos EUA, a área cultivada deverá manter-se próxima dos 4,7 milhões de hectares, apesar da pressão sobre os preços, em parte graças ao pacote de ajuda de 19 mil milhões de dólares lançado pelo Governo para ajudar os agricultores e criadores de gado afetados pela emergência de Covid-19.

A produção mundial deverá rondar as 25 milhões de toneladas, uma queda de 4% provocada pela diminuição da área plantada.

Já o consumo deverá atingir as 23,2 milhões de toneladas, o que deverá levar a um aumento dos níveis de stock – que, de acordo com as previsões, deverão subir de 18,63 milhões de toneladas em 2019/2020 para 21,92 milhões de toneladas em 2020/2021 – e a uma pressão adicional sobre os preços.

A atual projeção de preço do ICAC para a média do final do ano 2019/2020 do A Index foi revista para 0,714 dólares (0,66 euros) por libra. A projeção de preço para a média do ano 2020/2021 do A Index é de 0,569 dólares por libra.

A confirmar-se, este valor será o mais baixo desde a crise financeira de 2007/2008, quando os preços caíram para 0,49 dólares por libra.