Portugal veste homens suecos

Portugal é o principal fornecedor da Suécia de Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas, e calções, de uso masculino, conquistando uma quota de 14,6%, representando 43,3 milhões de euros. Este mercado escandinavo importou, em 2001, cerca de 297,2 milhões de euros deste tipo de produtos, tendo decrescido 0,9% face ao ano anterior. A Itália ocupa a segunda posição no ranking, tendo exportado um total de 37,5 milhões de euros de Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas, e calções, de uso masculino, correspondendo a 12,6% das importações suecas deste tipo de produtos. Os produtos provenientes deste país mediterrânico tiveram um crescimento assinalável (+ 31,7%), contribuindo para um incremento do peso relativo de 3,1 p.p. O preço médio de exportação dos produtos nacionais para a Suécia é superior ao dos artigos provenientes de Itália. Efectivamente, o preço médio das exportações deste último corresponde a 81% preço médio nacional. A sub-classe dos Fatos, conjuntos, casacos, calças, jardineiras, bermudas, e calções, de uso masculino, está integrada na classe de Vestuário não malha, na qual Portugal tem um peso relativo de 7% nas importações suecas desta categoria. Nos anos mais recentes, as transferências nacionais de vestuário não malha para a Suécia não têm registado alterações significativas, denotando-se que Portugal acompanha a evolução patenteada por este mercado escandinavo. Pode obter mais informação sobre esta notícia na secção de Estudis do portugaltextil.