Portugal é o segundo maior produtor de calçado da Europa

Em 2022, as empresas portuguesas produziram 85 milhões de pares de calçado, um número que superou os 83 milhões de pares da indústria espanhola e ficou atrás apenas de Itália.

[©Carité]

«A indústria portuguesa de calçado ultrapassou Espanha e passou a assumir-se como o segundo produtor de calçado da Europa», sublinha, em comunicado, a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos.

Citando dados da agência de estatística europeia Eurostat, em 2022 Portugal produziu 85 milhões de pares de calçado, o que representa mais cerca de 2 milhões de pares do que Espanha, que até então ocupava a segunda posição.

Os números revelam que, na última década, a produção de calçado em Portugal aumentou 14,4%, de 74 para 85 milhões de pares, enquanto a produção espanhola baixou 14%, de 97 milhões de pares para 83 milhões de pares.

Itália continua a ser o principal produtor europeu de calçado, embora «esteja a perder terreno para Portugal», destaca a APICCAPS. Em 2022, o país transalpino produziu 162 milhões de pares de calçado, deixando-o num claro primeiro lugar na Europa. No entanto, este número representa uma descida de 18,6% face a 2012, ano em que a produção em Itália foi de 199 milhões de pares.

A APICCAPS realça que, «em termos práticos, na Europa, apenas Portugal reforçou a produção de calçado», com o país a ter atualmente uma quota de 17,1% da produção europeia, que aumentou 34,3% numa década. A quota de Portugal na produção europeia aumentou 34,3% e ascende agora a 17,1% do total.

[©Carité]
«Este é o resultado do investimento continuado do sector de calçado em Portugal, na definição de uma visão ambiciosa e em políticas públicas ajustadas, que permitiram ao sector reposicionar-se na cena competitiva internacional», considera Luís Onofre. Para o presidente da APICCAPS, «independentemente dos ciclos conjunturais complexos, continuamos a acreditar no futuro da nossa indústria».

Luís Onofre realça ainda que «temos em curso dois grandes projetos, no âmbito do PRR, que pressupõem um investimento de 140 milhões de euros até ao final do próximo ano e mesmo até final da década, no âmbito do novo Plano Estratégico, tencionamos investir 600 milhões de euros», o que, acredita, «é a nossa maior prova na confiança do futuro deste sector».

A fileira portuguesa de calçado é atualmente composta por 2.448 empresas (-5% face a 2012), enquanto em Itália há 6.381 empresas afetas à indústria (-25,8% do que há uma década) e 2.808 em Espanha (-16,1%). Os três países em conjunto são responsáveis por praticamente 70% da produção europeia de calçado.