Polgat pode encerrar este ano

Segundo a Agência Lusa, a administração da Polgat – a “holding” israelita proprietária da Bagir-Confecção Portugual -, decidiu fechar a unidade em Portugal, situada em Coimbra, até ao final de 2002. Caso se confirme a intenção de encerramento da unidade têxtil, cerca de 200 trabalhadores podem ficar sem emprego em Dezembro. A mesma fonte de informação cita um relatório da Polgat publicado na imprensa israelita no passado dia 20 que apanhou totalmente de surpresa os trabalhadores daquela fábrica. Fátima Carvalho, coordenadora do Sindicato dos Têxteis do Centro (STC) soube, através do Jornal de Notícias (JN), dessa intenção que não conseguiu confirmar, tendo em conta que a fábrica está encerrada para férias. Em 1999, a Polgat, através da Bagir, comprou a Blazer, uma empresa de Coimbra que na altura enfrentava algumas dificuldades, embora se encontrasse num processo de recuperação. A empresa que actualmente emprega cerca de 200 trabalhadores foi adquirida pelos israelitas num investimento total que ronda os 1,8 milhões de euros. A dirigente sindical adianta que caso a empresa encerre, “será necessário agir de imediato”. Lamentando os sucessivos encerramentos de unidades fabris no concelho de Coimbra, Fátima Carvalho diz-se preparada para recorrer às instâncias locais e mesmo nacionais para evitar o anunciado encerramento. A Bagir fazia parte de um vasto programa de diversificação geográfica da Polgat, sendo uma das mais importantes empresas israelitas fabricante de fios, vestuário e confecção masculina, para fazer face à crescente concorrência. Vocacionada principalmente para a exportação, a Polgat seguiu uma estratégia de encerramento da quase todas as suas fábricas em Israel devido à forte concorrência, transferindo as suas linhas de fabrico para os países vizinhos como o Egipto, a Jordânia, Turquia e Portugal. Mas a empresa acabou por chegar à conclusão que no nosso país, o custo de produção não acompanhava os custos nos outros países onde a empresa está a trabalhar.