Paris é… Paris

Com efeito, a Première Vision (PV) continua a manter inalteravelmente a sua posição como "o" salão de tendências para o sector e o de carácter mais internacional. Em todo o caso, os expositores portugueses vão marcado pontos nos dois certames, com uma presença cada vez mais alargada, enaltecida pela criatividade, qualidade e carácter inovador das suas propostas. Em relação à PV, esta edição registou a participação de 20 expositores nacionais especialistas em tecidos ou malhas – A. Sampaio & Filhos, Adalberto Estampados, Albano Morgado, Arco Têxteis, Barros III, Beiralã Lanifícios, Fareleiros, Fast Track by TMG, Gierlings Velpor, LMA, Paulo Oliveira, Penteadora, Pereirinho, Riopele, Somelos Tecidos, Tebe, Tessimax, Teviz, TMG Fabrics e V. Fino – muito bem promovida pela Associação Selectiva Moda. Importante neste certame tem também sido a participação das empresas portuguesas e do Citeve no grupo de concertação de tendências moda promovido pela PV, que nesta edição registou um novo recorde. Para além da presença de Paulo Gameiro do Citeve, representante permanente, integraram também este grupo internacional de 54 elementos Filipa Pereira da LMA, Carlos Dias da Somelos Tecidos e Helena de Matos da Tebe. E os resultados do excelente trabalho realizado, acrescido do valor dos produtos nacionais, foram patentes no Fórum Geral que apresentou 12 amostras portuguesas, estabelecendo assim outro recorde nacional. Das propostas nacionais apresentadas para a próxima estação estival, e que tanto seduziram os compradores da PV, destaca uma moda minimalista, pura nas linhas e nas matérias-primas, mas sofisticada nos acabamentos: os tecidos para camisaria com tintos em fio e acabamentos especiais propostos pela Somelos Tecidos, os com algodão orgânico da Teviz ou ainda os com fios torcidos 100% algodão da Arco Têxteis, as malhas 100% bambu com riscas apresentadas pela Fast Track by TMG, os tecidos de algodão com linho ou ramie da RB 88 desenvolvidos pela Riopele ou ainda a Ecopoly – uma linha de tecidos produzidos a partir de poliéster reciclado – e o conceito de "travel suit" lavado à máquina do grupo Paulo Oliveira. «Correu muito bem», afirma Miguel Mendes da A. Sampaio & Filhos. «Recebemos muitas marcas de topo e estabelecemos contactos internacionais muito interessantes. Em particular, é uma feira onde há cada vez mais americanos, o que é muito positivo». Também Paulo Jorge da Teviz afirma que «foi uma excelente edição, ainda melhor que a precedente, pois registámos a presença de muitos visitantes internacionais, incluindo clientes actuais e novos». Embora a estação Outono/Inverno seja mais forte para os lanifícios, Manuel Fareleiros Arnaut considera que «o balanço é positivo, tal como nas edições anteriores». Enquanto que Leandro Araújo, administrador da LMA, sustenta que «a PV é a melhor feira de tecidos do mundo. Esta feira é um fenómeno por tudo o que a rodeia e é irrepetível. De edição para edição consegue-se superar, tal como nós».Mas também nos fios e nos acessórios os portugueses deram cartas. Na Expofil, que apresentava as novidades de fibras e fios para o Outono/Inverno 2008-2009, marcaram presença a Fiação da Graça, Fisipe e Tearfil. Para Carla Freitas, directora-geral da FDG, esta edição «esteve ao nível das nossas expectativas, tendo os nossos objectivos sido atingidos». Quanto à Fisipe, Tiago Gonçalves afirma que «esta edição correu bem melhor do que a sua antecessora». A Mod'Amont, contou com as participações da Heliotextil e da Idepa, que afirmam ter sido uma boa edição. «Registámos contactos muito interessantes, nomeadamente dos países de Leste», acrescenta Cristina Pinto, responsável de exportação da Heliotextil.A Première Vision Pluriel reúne, desde Setembro 2005, as manifestações Première Vison, Expofil Mod'Amont, Índigo e Le Cuir à Paris. A Première Vision e a Expofil receberam, nesta edição, mais de 800 expositores, 41 dos quais na Expofil, e 47.800 visitantes (+3% do que em Fevereiro de 2006, 75% estrangeiros). A Mod'Amont registou 269 expositores e cerca de 19 mil visitantes; o Índigo contou com 170 expositores e aproximadamente 16 mil visitantes; e o Le Cuir à Paris acolheu 177 expositores e 10.107 visitantes. Deste modo, este salão continua a ser o maior, o melhor e o mais forte em tendências de moda. Quem o diz são os números.