Outdoor supera-se

19.300 visitantes de 90 países e 810 expositores de 38 países fizeram da última edição da Outdoor, a feira dedicada aos desportos de exterior, a maior de sempre. «A Outdoor não só respondeu às melhores expectativas de toda a gente, como também consegui ultrapassá-las em muitos casos», afirmou Klaus Wellmann, director da Messe Friedrichshafen, responsável pela organização do evento. Um resultado muito positivo que se deve, também, ao bom momento que a indústria dedicada a este ramo do desporto vive actualmente: «o mercado de outdoor está em expansão. Aliás, os melhores tempos ainda estão para vir», acredita o grupo de reflexão alemão Zukunftsinstitut. Um factor que contribuiu para a satisfação geral dos expositores presentes. «Os nossos expositores estão particularmente satisfeitos com as negociações produtivas que tiveram com uma audiência internacional e competente», referiu Stefan Reisinger, director de projecto da feira. Uma opinião partilhada pelos expositores portugueses presentes. A Ortik, a A. Sampaio&Filhos e a LMA estiveram presentes, estas duas últimasintegradas numa iniciativa da Associação Selectiva Moda no âmbito do Qren, e regressaram satisfeitas com a participação, a primeira para a A. Sampaio. Na sua estreia como expositora neste evento, a empresa levou uma colecção completa de malhas, desde a gama Sport/Active, com fibras Thermolite, Coolmax, Thermocool, Outlast, Dri-Release, Becool, Polyester Bioactive, Tencel, Tencel Sun e lã merino e malhas com membranas, até à gama “Pure Life”, orientada pelo espírito de sustentabilidade ambiental, com malhas em algodão orgânico, algodão reciclado, soja, bambu, poliéster reciclado, PLA, Sorona (Biophyl), fibra de proteína de leite e seacell (fibra de algas). «Correu bem. Os visitantes mostraram-se atraídos sobretudo pelas malhas funcionais, como por exemplo as malhas anti-UV e as malhas de polipropileno tingidas em peça», revelou João Mendes, coordenador da colecção da A. Sampaio. Também Manuel Barros, director-executivo da LMA, é da mesma opinião. «é uma feira fantástica em termos de presença daqueles que são os nossos grandes potenciais clientes. Mas, como é uma feira mais direccionada para a peça confeccionada, funciona melhor como pró-activa do que reactiva, na medida em que temos que ser nós a visitar os clientes. Por isso, pensamos que seria melhor abordá-la nessa perspectiva», explicou. «Os produtos mais procurados foram as malhas e tecidos leves, repelentes à água, à prova de vento sempre dentro da filosofia “light and fast”. Os compradores que nos visitaram eram sobretudo da Alemanha, Suíça e Países Nórdicos», concluiu. Face a resultados tão positivos, a Associação Selectiva Moda tem já incluído no seu programa de acções para 2010 o regresso a esta feira, com data marcada para 15 a 18 de Julho.