Os sapatos que querem mudar o mundo

Mais do que uma marca, a Three Land pretende ser um movimento que apela à consciencialização ambiental. A insígnia lança, assim, a coleção Vitamin Zero, com sapatilhas 100% vegan, inteiramente produzidas com materiais sustentáveis e reciclados provenientes de fibras de ananás e garrafas de plástico.

[©Three Land]

«Numa altura em que é urgente tomar medidas para salvar o nosso planeta, como pode uma sapatilha mudar o mundo? Como pode uma peça de calçado mudar tudo isto?». Foram estas interrogações que levaram Diana e André, ligados desde sempre à indústria do calçado, a encontrar uma resposta no verão passado: os ténis 100% vegan Vitamin Zero.

Fabricadas com matérias-primas recicladas e sustentáveis como o piñatex, tecido que imita a pele natural e que é obtido a partir das fibras das folhas do ananás, e o Seabottle, tecido confecionado com fios reciclados Seaqual produzidos com resíduos plásticos recolhidos do mar, as sapatilhas Vitamin Zero «nasceram a partir da ideia criar um produto sustentável para todos», explica o cofundador André Oliveira ao Portugal Têxtil.

Também a sola é obtida a partir de materiais reciclados, assim como o forro, composto por microfibra Bioeco. A palmilha é anatómica e removível, feita com Sanipur, que oferece uma capacidade superior de absorção da humidade. O interior da sapatilha tem ainda um tratamento antibacteriano.

[©Three Land]
[©Three Land]
Com a produção centrada em São João da Madeira, a Three Land «iniciou-se muito focada com produto único e cores muito especificas. A vontade de fazer bem e de oferecer o melhor possível foi tida em conta e não uma soma de modelos», revela o cofundador.

Destinada a um «consumidor eco-cool, que procura um andar confortável e respira a saúde do meio ambiente a (quase) cada passada», a marca apresenta um desenho minimalista, «sem género de sola flexível e perfeitos para o estilo casual do dia a dia», destaca.

A Three Land é atualmente comercializada através do website da marca e tem presença física na loja Feeting Room. «O projeto tem caracter internacional não só como influencia, mas também como ideia de destino. Estamos, no entanto, focados em Portugal nesta fase inicial e a trabalhar com alguns influenciares digitais de relevo da área», adianta André Oliveira.