Os 20 magníficos na Fimi

Está aí a 63ª edição da Fimi, a Feira Internacional de Moda Infantil e Juvenil, que nos próximos dias 23 a 25 deste mês vai receber em Valência (Espanha) uma representativa comitiva nacional- 20 empresas e 20 marcas -, mais uma vez pela mão da Anivec/Apiv e do Icep, e do seu projecto de internacionalização de marcas portuguesas de vestuário. Sob a égide do programa Children Fashion from Portugal, as empresas irão apresentar as suas propostas para a Primavera/Verão de 2007, num evento que já tem mais de uma centena de jornalistas internacionais acreditados, com particular destaque para os países onde a posta no vestuário infantil tem registado um crescimento mais significativo, como a Rússia, a Itália, a França, o México e Portugal. A Organização da feira espanhola não quis deixar de destacar duas das razões pelas quais quis nesta edição antecipar as datas para estes dias: primeiro, para que os visitantes internacionais que se deslocam à Europa para ir à Pitti (a feira europeia de vestuário com mais prestigio e projecção internacional, a correr de dia 29 deste mês até dia 1 de Julho, em Florença), incluam Valência neste circuito, e depois aproveita-se para proporcionar aos compradores, sobretudo os multi-marca, o visionamento das colecções um pouco mais cedo. As 20 marcas que atravessam Espanha para sua costa Leste são a Wedoble da empresa A. Ferreira & Filhos, Abobrinha da Babex, Belmiro/Natro da Belmiro Martins, Alfazema da Confecções Alfazema, Makao da Creative Sign, Cenoura da Crispim Abreu, a F. S. Confecções, a Noiva da Ferreira de Melo, as Gui Babies e Gui- Kids da Guilanda, a Laranjinha da Hall & Cª, a Dr. Kid da Inarbel, a Maria Alegria, a Natura Pura, a Nortada da Pestana & Serôdio, a Atlanta Mocassin da Portocouro, a Ponto Por Ponto, a Xaritos da Silva & Xará, a Valentina da Valentina Silva, a Valti e a Play Up, da Etfor. Esta última é uma das estreantes (a empresa tem apenas dois anos), e está «muito optimista quanto à presença neste mercado onde vamos começar a trabalhar precisamente este ano», adianta Bruno Correia, director de Marketing da empresa, ao Portugal Têxtil (PT). A Feira que começou em 1964 como uma feira de brinquedos para crianças, e que em 1984 já tinha duas edições anuais de moda infantil e juvenil de âmbito internacional, recebeu na anterior edição (em Janeiro deste ano) mais de 12 mil visitantes- um acréscimo de 10 por cento em relação à anterior edição (a 61ª, há um ano atrás), quando a Fimi distinguiu a Anivec/Apiv como a autora do melhor Stand. O director desta Associação, António Amorim Alves, comentou ao PT que verifica que «a moda infantil não pára de nos surpreender, confirmando estar a tornar-se numa aposta de qualidade e de futuro».