Oma promove webinares sobre sustentabilidade

“As pessoas como foco da sustentabilidade” é o tema do próximo webinar, que se realiza a 3 de maio. Um ciclo de partilha de informação que termina no final do próximo mês com o debate sobre a dinamização da I&D para a valorização da sustentabilidade.

[©Oma]

Moderado pela apresentadora Fátima Lopes e com a intervenção de Mafalda Sarmento, da equipa do Centro de Negócios e Liderança Responsável da Universidade Católica de Lisboa, e José Teixeira, presidente do conselho de administração do grupo DST, o próximo webinar, de participação gratuita sujeita a inscrição, o webinar está agendado para as 11h e irá abordar a forma como as pessoas são integradas na sustentabilidade de uma organização, porque são consideradas o pilar de uma estratégia de sustentabilidade de sucesso e as práticas que podem ser usadas para valorizar as pessoas neste domínio.

«Se as pessoas são o foco da sustentabilidade, nada melhor do que partilharmos boas práticas com três pessoas que, todos dias, interagem diretamente com organizações e as suas pessoas», justifica a Oma.

Este webinar faz parte de um ciclo de webinares que a consultora tem dinamizado, que começou a 15 de março e terminará a 24 de maio com o tema “Dinamização da I&D para valorização da sustentabilidade”.

No último webinar, a 12 de abril, o mote foi a gestão estratégica da sustentabilidade, com Rita Sousa, vice-presidente para a educação e sustentabilidade da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, e Beatriz Freitas, ex-presidente do Banco Português de Fomento, a partilharem iniciativas já implementadas e conselhos para as empresas que querem ser mais sustentáveis no seu quotidiano.

Na Escola de Economia da Universidade do Minho, está a ser construído um roadmap para a sustentabilidade, cujos primeiros passos já foram dados, como explicou Rita Sousa. «É uma perspetiva diferenciadora, que nos traz mais-valias», para alunos e docentes, acredita. «A missão da escola envolve toda a gente», sublinhou.

Já Beatriz Freitas destacou a importância da governança como pilar de uma estratégia de sustentabilidade. «Sem governança não se podem implementar ações com impacto ambiental e social», referiu, apontando a necessidade das empresas portuguesas evoluírem sobretudo ao nível das boas práticas de transparência. «Portugal já deu passos grandes na transparência do sector público, mas tem ainda muitos passos para dar», indicou. Há ainda muito desconhecimento por parte das PMEs sobre estes assuntos. «As associações sectoriais podiam ter um papel agregador», acredita.

«A governança poderá ser a cola entre a parte ambiental e a parte social», resumiu Luís Cristino, fundador da Oma.

Para além destes webinares, a consultora está igualmente a promover a segunda edição da formação paga “Boas práticas e ferramentas para a sustentabilidade no sector têxtil e vestuário”, com início a 21 de maio, que tem como objetivo «capacitar os formandos com conhecimentos e habilidades práticas para implementar estratégias sustentáveis em suas atividades e organizações, visando reduzir o impacto ambiental, promovendo a eficiência e otimização de recursos, proporcionando simultaneamente a geração de valor».