O Sr. Zara arrecada mil milhões

Graças ao crescimento de 10% face a 2015 nos lucros da Inditex, Amancio Ortega, o homem mais rico da Europa, vai adicionar à sua conta bancária cerca de 1,26 mil milhões de euros em dividendos, distribuídos por cada ação da empresa.

Ortega, agora com oitenta anos, é dono de quase 60% das ações do grupo Inditex através de duas empresas, a Pontegadea Inversiones e a Partler.

Na última lista de milionários da revista Forbes, o empresário geria uma fortuna avaliada em 66,6 mil milhões de euros, assumindo-se como o quarto mais rico do mundo. À sua frente ficaram Bill Gates, fundador da Microsoft, Warren Buffett, investidor, e Jeff Bezos, fundador da Amazon.

Zelador da sua privacidade – raramente é entrevistado ou fotografado –, Amancio Ortega é um rosto familiar em La Coruña, cidade galega no norte da Espanha próxima de Arteixo, onde a Inditex está sediada.

Como consequência dos resultados recordes do grupo, a maior retalhista de vestuário do mundo revelou que pagaria aos acionistas um dividendo de 0,68 euros por ação, um aumento de 13,3% em relação ao ano anterior. A participação de Ortega gerará um pagamento de mais de mil milhões de euros, que se vão juntar ao total ganho pelo bilionário – cerca de 6 mil milhões de euros desde 2010.

Em 2016, a Inditex, empresa-mãe de marcas como Zara, Massimo Dutti e Stradivarius, registou um salto de 10% nas vendas (ver Inditex com lucro de gigante), depois de ter investido 1,4 mil milhões de euros nos seus armazéns – para permitir que as roupas sejam embaladas e expedidas a um ritmo ainda mais acelerado –, tecnologia, novas lojas e expansão online. O lucro líquido também subiu 10%, para 3,2 mil milhões de euros, enquanto as vendas totais escalaram para mais de 23 mil milhões.

Pablo Isla, presidente da Inditex, afirmou aos jornalistas que «este é um resultado direto do compromisso, espírito e ambição de todos os profissionais que compõem o grupo, a sua dedicação à empresa, paixão pela moda e foco na sustentabilidade».

No ano passado, o grupo de Amâncio Ortega abriu 279 novas lojas em 56 mercados, elevando a sua presença global para um total de 93 geografias nos cinco continentes e 7.292 lojas.

Em particular, o grupo entrou em cinco novos mercados– Nova Zelândia, Vietname, Paraguai, Aruba e Nicarágua – e expandiu o seu portal de comércio eletrónico a um total de 20 países.

O grupo acrescentou que os destaques em 2016 incluíram ainda o lançamento de uma linha Zara projetada para assinalar o lançamento do novo álbum dos Rolling Stones, “Blue & Lonesome” e a coleção sustentável Join Life (ver Zara e Mango Comprometidas).

Richard Chamberlain, analista da RBC Capital Markets, considerou que os resultados de 2016 foram tranquilizantes. «Vemos a Inditex como um vencedor multicanal global a longo prazo no vestuário», resumiu.

O grupo Inditex é ainda conhecido por responder rapidamente às tendências e às condições meteorológicas, graças a uma produção de proximidade que conta com 171 fornecedores em Portugal, num total de 887 fábricas associadas (ver O segredo mais bem guardado da Zara).

O modelo depende menos de relatórios de marketing e números de vendas e muito mais da pesquisa observacional. No centro dessa estratégia estão os responsáveis de loja da Zara, que ouvem os clientes e percebem o que estes procuram nas prateleiras da retalhista – e transmitem essa informação à sede da empresa. Estes responsáveis chegam muitas vezes a fazer viagens de avião para a sede para serem consultados.