O peso da ITV chinesa

A indústria têxtil chinesa manteve um desenvolvimento firme e consistente em 2007. De acordo com as mais recentes estatísticas, tornadas públicas no relatório lançado pelo Statistics Center of the China National Textile and Apparel Council, as grandes empresas têxteis na China devem gerar 3,05 biliões de yuan (cerca de 416,8 mil milhões de dólares) em 2007, um aumento anual de 21,9%. O relatório afirma que o lucro total das grandes empresas têxteis (com vendas anuais superiores a 2 milhões de yuan) deve atingir os 115,2 mil milhões de yuan em 2007, o que representa um crescimento de 32%. As exportações, por seu lado, devem chegar aos 177,2 mil milhões de dólares e as importações aos 18,9 mil milhões de yuan, o que significa um aumento de 4,4%. Os especialistas da indústria sustentam que este sucesso na produção, nas vendas, na exportação e na eficiência conseguido pela indústria têxtil não foi fácil, tendo sido necessário ultrapassar diversas dificuldades, como a resistência comercial, a valorização do yuan, a quebra no valor das exportações, o aumento das taxas de juro e a escalada do preço dos factores de produção. Durante 2007, a indústria têxtil e de vestuário chinesa ficou marcada por um aumento da procura interna, que se tornou num importante suporte para a indústria. Já a procura dos mercados internacionais estabilizou, com a particularidade dos países em desenvolvimento da ásia e da áfrica estarem a tornar-se nos novos motores para a exportação de produtos têxteis da China. Em termos internos, a estrutura de exportação melhorou e o ajustamento da estrutura regional registou grandes progressos, com as regiões centrais do país a conseguirem um crescimento rápido no desenvolvimento da indústria têxtil, especialmente nos campos da produção, do investimento e da exportação. A aposta na tecnologia e inovação é cada vez mais importante para a ITV chinesa, tendo um papel fundamental na melhoria da competitividade das empresas. Contudo, a indústria enfrentou diversos problemas, nomeadamente o aumento do preço do crude nos mercados internacionais, os novos impostos para a importação de algodão, o aumento do preço da lã, assim como aumento dos preços do petróleo, da electricidade, do gás e do trabalho. A contínua valorização do yuan foi também um enorme desafio que as empresas têxteis chinesas tiveram de enfrentar. Apesar disso, os especialistas da indústria sustentam que a indústria vai manter um aumento sustentado dos lucros em 2008. As suas previsões apontam para que as exportações de produtos têxteis e vestuário do país cresçam 15% em 2008.