O mapa do conforto do vestuário

A notícia caiu como uma bomba no sector do vestuário e promete revolucionar o comércio já a partir do próximo Outono/Inverno. A W. L. Gore, inventora do tecido laminado Gore-Tex, desenvolveu uma gama de blusões outdoor à prova de água que oferece isolamento consoante a zona do corpo. O segredo da primeira aplicação comercial de vestuário multi-zonas reside numa tecnologia de selagem de costuras patenteada que permite o uso de diferentes materiais em diferentes partes da peça de vestuário de forma a combinar-se com as várias zonas climáticas do corpo- um conceito que a empresa baptizou de “Comfort Mapping” (uma espécie de “mapa do conforto”).O “Comfort Mapping” leva em conta as diferentes características fisiológicas das distintas zonas da parte superior do corpo na construção de vestuário funcional. Com base na análise laboratorial, trata o corpo como um gerador de diferentes microclimas que requer distintos meios de vestuário. Deste modo, características como o calor, a respirabilidade e a elasticidade podem ser colocadas nas partes da peça de vestuário onde são necessárias, preservando-se ao mesmo tempo a impermeabilidade global.Alguns produtores de vestuário desportivo desenvolveram outrora tecnologias baseadas neste conceito. Por exemplo, o vestuário desportivo e a roupa interior funcional suportam a ideia de diferentes zonas de transpiração corporal. Foi precisamente esta tendência do vestuário de desporto que a Gore transportou para o reino do vestuário outdoor. O primeiro conjunto de artigos deste tipo a chegar às lojas inclui blusões de ski, vestuário urbano, equipamento de escalada e blusões de motociclismo.Cada artigo é construído a partir da combinação de três materiais Gore-Tex distintos: o laminado XCR (impermeável, respirável e leve), a tecnologia de isolamento Airvantage e o laminado Soft Shell. A tecnologia de isolamento Airvantage utiliza câmaras-de-ar que podem ser enchidas ou esvaziadas pelo portador do artigo de vestuário de forma a regular em função das mudanças nos requisitos de isolamento. Este sistema já é usado em blusões de esquiadores e motociclistas, onde os níveis regulados de calor se equiparam à variação de temperatura experimentada pelo portador durante o uso do artigo de vestuário.No vestuário de montanha, os tecidos laminados Soft Shell fabricados com uma camada interior de felpa combinada com um laminado não isolador para proporcionar calor naquelas áreas do corpo onde a análise mostrou que perdem calor mais rapidamente, mantendo todavia a liberdade de movimento e o conforto em áreas que aquecem rapidamente após um grande esforço físico. O vestuário resultante protege o seu portador da chuva, ao mesmo tempo que mantém as áreas debaixo dos braços livres de transpiração e os ombros e as costas quentes.No vestuário urbano, a combinação entre protecção às intempéries e estilo é obtida, segundo a Gore, através de uma tripla camada de laminados Gore-Tex, leves e macios, colocada na maior parte da peça de vestuário à excepção dos ombros, que apresentam produtos Soft Shell. Toda a peça é forrada para maximizar a sua aparência interna.Entre as marcas que estão a usar este conceito nas suas novas gamas de vestuário contam-se a Adidas, Nike, Bail, Beatty, Rossini e The North Face. O avanço técnico que esteve por detrás da capacidade destas empresas fabricar este tipo de vestuário foi o desenvolvimento de uma tecnologia patenteada para criar ligações à prova de água entre os diferentes laminados da Gore (que apresentam diferentes texturas superficiais). Tal feito é obtido através do uso de fitas especiais, que juntam os materiais, conservando todavia a sua respirabilidade. Não há necessidade de coser as diferentes secções, o que potencialmente originaria canais que conduziriam as gotas de água até à pele do portador do artigo de vestuário.