O futuro na UBI

A necessidade de repensar a formação na área têxtil à luz da actual conjuntura económica e a redefinição da estrutura dos cursos do ensino superior, decorrente do Processo de Bolonha, constituem o ponto de partida para o colóquio “O Futuro do Ensino da Área Têxtil”, que se realiza hoje, nas instalações da Universidade da Beira Interior (UBI). Este evento, promovida pela Reitoria, em colaboração com o Departamento de Ciência e Tecnologia Têxtil (DCTT) da UBI, que conta com os contributos do Departamento de Engenharia Têxtil (DET) da Universidade do Minho (UM) e da École Nationale Supèrieure des Industries Textiles de Mulhouse (ENSITM) da Université de Haute-Alsace (UHA), em França. Após uma visita às instalações do Departamento de Ciência e Tecnologia Têxtil da UBI, o Reitor, Manuel José Santos Silva, fará a abertura do colóquio, seguida da apresentação dos cursos da área têxtil, a cargo de Rui Miguel, em representação do Departamento de Ciência e Tecnologia Têxtil da UBI, de Marc Renner, em representação da Ecole Nationale Superieure des Industries Textiles de Mulhouse da UHA, e de Fernando Ferreira, em representação do Departamento de Engenharia Têxtil da UM. Após uma pausa para almoço, Dominique Adolphe, da UHA abordará os temas “A aplicação do Processo de Bolonha” e “Outros cursos da área têxtil”. As intervenções “Formas de colaboração com empresas”, por Jean Yves Drean e “O futuro do ensino da área têxtil”, por Marc Renner, ambos da UHA, antecedem o período de debate.