O adeus definitivo de Yves Saint Laurent

O estilista Yves Saint Laurent que se despediu da moda com um grande espectáculo no dia 7 de Janeiro de 2002, deverá abandonar definitivamente as suas dependências da Avenida Marceau durante o dia de hoje, quando os seus salões encerrarem as suas actividades. A peça número 77.751 foi o último modelo ali produzido, por encomenda da actriz Catherine Deneuve, amiga do designer. Tratava-se de um casaco de lã bordado com espigas de trigo douradas, uma reedição de uma peça similar criada para a colecção Outono-Inverno de 1985-86, período particularmente brilhante para Yves Saint Laurent. A empresa que encerra um dos mais belos capítulos da história da moda é a “Yves Saint Laurent-Alta Costura”, propriedade de Artemis, um grupo familiar do empresário François Pinault, que em 1999 pagou cerca de mil milhões de euros aos laboratórios farmacêuticos Sanofi pela totalidade da YSL. Uma das condições impostas na venda ,que dividui em duas a célebre empresa, era que os seus fundadores, o estilista e seu amigo Pierre Bergé, continuassem à frente do sector de alta costura. Em contrapartida a Gucci, filial do grupo de distribuição e artigos de luxo da Pinault-Printemps-Redoute, ficou com o controle da secção de pronto-a-vestir e de perfumes YSL, ambos sob a direcção do americano Tom Ford, que em cada temporada apresenta os seus desenhos Saint Laurent, quase sempre inspirados nas grandes criações do mestre, de quem diz ser um admirador incondicional. Em Janeiro, depois do espectacular desfile-retrospectiva com o qual o artista disse adeus a quarenta anos de criação, a Pinault vendeu YSL-AC e o seu enorme déficit anual por um preço simbólico a Patrick Bouygues, que se propunha continuar a dar trabalho aos seus 150 assalariados. No entanto, depois de graves problemas na empresa, Bergé e Saint Laurent optaram no passado mês de Junho por recuperar a propriedade de YSL, também por um preço simbólico, e dois milhões de euros convertidos logo em quatro, para pôr em marcha o plano social inicialmente prometido. Supostamente o encerramento irá completar-se com 14 milhões de euros trazidos por Pinault, que terminou por abandonar a sua ideia de estabelecer uma ponte entre os directores artísticos do pronto-a-vestir e da alta costura de YSL, Ford e Saint Laurent ao qual este último foi sempre renitente.