NY veste-se mais uma vez

Com uma semana de atraso para não coincidir com o primeiro aniversário do atentado terrorista de 11 de Setembro, a Semana da Moda de Nova Iorque destronou Londres na noite de da passada terça-feira e passou a ser a capital da moda. Uma centena de criadores internacionais, entre os quais se destacam os intocáveis Calvin Klein, Carolina Herrera, Donna Karan, Kenneth Cole, Ralph Lauren e Tommy Hilfiger, bem como os espanhóis Custo Dalmau e Miguel Adrover, apresentaram na passada semana as suas propostas para a Primavera/Verão de 2003. Um ano passado sobre a tragédia das Torres Gémeas que interrompeu os desfiles de Primavera/Verão de 2002, os criadores colocaram sobre o tapete uma nova esperança. Nas silhuetas a volta ao optimismo, ao luxo e à leveza são as principal referências. Um claro contraste com a austeridade, funcionalidade e colorido que estavam presentes nas colecções apresentadas no passado mês de Fevereiro. Os designers consideraram que a melhor forma de esquecer as más recordações do 11-S é em cima das passarelas. E o primeiro passo foi dado por Badgley Michka, Behnaz Sarafpour e Diane von Fustemberg. Na quarta-feira foi a vez dos ‘primeiros agulhas’ como Michael Kors. O director criativo de Céline, reconhecido também pela sensualidade da sua própria marca de corte perfeito, comentou que foi buscar a sua inspiração fora de Nova Iorque, encontrando-a nas praias de Palm Springs. Loucura e humor foram o resultado, bem como “vestidos luxuosos mas distendidos”. Dona Karan, que irá desfilou na quinta-feira, segue a mesma linha: “a Primavera para mim encarna na loucura e no humor, sem que para isso tenha que se deixar de lado o estilo e a elegância”, afirma a estilista. A sofisticada Carolina Herrera inspirou-se para a sua nova colecção primaveril nas cores indianas e em pedras preciosas, como as esmeraldas, o âmbar e as safiras. “Os meus vestidos concentram-se na luz e no movimento”, acrescentou a designer venezuelana. A britânica Luella Bartley, por seu lado preferiu apresentar a sua colecção em Nova Iorque em vez de Londres, quer vestir as suas clientes com modelos inspirados em desportos como o surf e o motocross.