Novo Prime: Candidaturas aos incentivos para PME ascendem a 1.036

O número de projectos candidatos aos sistemas de incentivos exclusivos para Pequenas e Médias Empresas (PME), no âmbito do novo PRIME, ascendeu a 1.036, totalizando um investimento global de 132 milhões de euros, conforme foi divulgou pelo Ministério da Economia. Segundo foi noticiado pela Lusa, do total de projectos candidatos aos sistemas de incentivos SIPIE, SIED e SIME, a maioria (420 projectos, num investimento de 52,7 milhões de euros) diz respeito ao sector industrial, seguindo-se o comércio (351 projectos, 43 milhões de euros), serviços (186 projectos, 27 milhões de euros) e turismo (79 projectos, 9,5 milhões de euros), precisou uma nota divulgada pelo ministério liderado por Manuel Pinho. As propostas agora apresentadas vão ao encontro de algumas das «prioridades» estabelecidas pelo novo PRIME, como a aposta no «empreendedorismo qualificado», que passa pela criação de empresas de base industrial com elevado potencial de inovação e recursos humanos altamente qualificados, destaca a nota. Também têm lugar os projectos de comércio integrados em redes de cooperação e as empresas de actividades turísticas específicas, destacando-se ainda as propostas que privilegiam a «economia digital», nomeadamente a «utilização da Internet como ferramenta de negócio», e aquelas que investem em acções de internacionalização. A nota do ministério de Economia destaca ainda que o maior número de candidaturas proveio da região Norte (464 propostas num investimento de 62 milhões de euros), seguindo-se o Centro (250 propostas, 33 milhões de euros) e Lisboa e Vale do Tejo (247 propostas, 28,8 milhões de euros). As candidaturas, cuja data limite de apresentação terminou no dia 11 de Abril, vão agora ser analisadas pelo IAPMEI, ICEP, ITP e GGPRIME, «assumindo-se o compromisso público de publicar no site do PRIME as listas dos projectos seleccionados até ao dia 15 de Julho», frisa a nota. Além deste concurso, permanecem ainda em aberto (até 7 de Junho) outros processos de selecção «focalizados noutras prioridades do novo PRIME», como a produção transaccionável para a exportação, valorização de resultados de I&DT e projecto DINAMO (inovação no têxtil e calçado), entre outros.