Norte com mais empresas

De acordo com um inquérito divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 1999 as empresas com sede na região norte registaram uma queda de 4,3% no seu volume de negócios total em relação ao ano anterior, fixando-se nos 72 mil milhões de euros, noticia o jornal Público. Esta é um valor que contrasta com os aumentos registados em 1997 e 1998 de 11 e 10% respectivamente. No inquérito refere-se que no mesmo período o investimento realizado pelas empresas com sede no Norte aumentou 7,2% para 4,4 mil milhões de euros, ao contrário do que se verificou a nível nacional, onde se registou uma quebra de 8,3% para 13,6 mil milhões. Segundo o noticiado no Público e no que diz respeito aos sectores, o mais penalizado na região Norte foi o dos Serviços, que representa 64,6% tecido empresarial nortenho. As empresas deste sector registaram em 1999 uma quebra do volume de negócios em 10,4%. No que diz respeito ao número de trabalhadores, a quebra em 1999 foi de 4,5% nos serviços, mas na indústria cresceu 0,2%. Os dados relativos à representatividade das empresas na região Norte no tecido empresarial nacional mantêm-se praticamente estáveis, sendo que em 1999, 32,8% do tecido empresarial português estava localizado no Norte, assegurando 28% do volume de negócios e 35,3% do pessoal ao serviço do país. Na região Norte a actividade empresarial concentra-se no grande Porto, assegurando mais de metade da facturação das empresas nas zonas do Ave e Entre Douro e Vouga.